Ano 15

Jesuíta Barbosa (Hermila Guedes)

Tem uma figura que eu conheci em um cinema muito recente, um filme muito recente de uma pessoa que eu pude trabalhar, que se chama Karim Aiñouz. 

Ele fez uma história retratando uma mulher que vendia o corpo, uma história antiga, que ele já tinha feito um curta. Ele filmou com uma atriz que, depois que eu assisti a esse filme, O Céu de Suely, eu fiquei muito impressionado com a capacidade do ser humano de mostrar a intimidade assim.

Acho que é um lugar que me interessa muito do trabalho do ator, que é conseguir abrir o universo interno. E eu acho que a Hermila Guedes fez isso de uma forma tão bonita, que até hoje eu me impressiono muito com o filme. A Hermila é essa pessoa que eu tenho fascínio desde sempre, pelo olhar dela, pela postura dela enquanto mulher em todos os sentidos que essa palavra traz. E essa admiração que eu criei por ela vem em forma de carinho e em forma de vontade de poder trabalhar com esse propósito que ela traz para a cena, que é essa força interior. No filme do Karim, principalmente, ela está despida de qualquer amarra, de qualquer medo. E isso é que deixa o ser humano mais bonito, e, consequentemente, o ator, né? É uma atriz que eu admiro e quero ficar sempre junto. 

Vamos trabalhar agora, fizemos mãe e filho, então eu acho que foi um bom início de contato, de poder receber Hermila e a Hermila me receber como mãe. E a gente poder ter essa relação próxima assim contribuiu muito para o meu recente trabalho como ator. Então eu só quero ficar mais perto dela e quero que ela continua sendo essa atriz magnifica que ela é. 

Jesuíta Barbosa é ator. 

Veja também sobre ela

::Voltar
Sala 
 Sala Dina Sfat
Atriz intensa nas telas e de personalidade forte, com falas polêmicas.