Ano 15

Ana Maria Miranda

*19 de agosto de 1951 - Fortaleza - CE

Cena de Crônica de um industrial, Luiz Rosemberg F
Cena de Crônica de um industrial, Luiz Rosemberg F
Nos anos 80 Ana Maria Miranda retirou o segundo nome e Ana Miranda virou uma escritora de sucesso, com livros premiados e aplaudidos como Boca do inferno. Antes disso, foi uma das mais requisitadas atrizes do Cinema Nacional dos anos 70, com uma carreira importante em filmes de Nelson Pereira dos Santos, Paulo César Saraceni, Luiz Rosemberg Filho, entre outros.

Com formação em Arquitetura e Artes Plásticas, Ana Maria Miranda estreou no cinema pelas mãos de Nelson Pereira dos Santos no clássico Como era gostoso o meu francês. Nascia aí uma das atrizes mais queridas da turma do Cinema Novo, com destaque em filmes de Paulo César Saraceni, como Amor, carnaval e sonhos e Anchieta, josé do Brasil. Outros destaques na carreira de Ana Maria Miranda é o filme Crônica de um industrial, dirigido por Luiz Rosemberg Filho e o belíssimo A faca e o rio, uma co-produção Brasil/Holanda dirigida por George Sluizer, protagonizada por Joffre Soares e por ela.  

Desde muito cedo Ana Maria Miranda se interessou por literatura. Em 1979 publicou seu primeiro livro de poesia, mas a consagração, inclusive internacional, veio dez anos depois com Boca do inferno, sobre o poeta Gregório de Matos – um livro de sua autoria, Desmundo, virou filme dirigido por Alain Fresnot. Depois de contar com cerca de 15 filmes no currículo, Ana Maria Miranda abandona a carreira de atriz para se dedicar a literatura. No período em que esteve envolvida com o cinema nacional chegou a trabalhar como assistente de direção de Ruy Guerra em A queda (1976), e de Nelson Pereira dos Santos em Tenda dos milagres, em 1977. Ana Maria Miranda é irmã da compositora e cantora Marlui Miranda. 


Filmografia

Como era gostoso o meu francês, 1970, Nelson Pereira dos Santos
Os devassos, 1971, Carlos Alberto de Souza Barros
O rei dos milagres, 1971, Joel Barcellos
Mãos vazias, 1971, Luiz Carlos Lacerda
Amor, carnaval e sonhos, 1972, Paulo César Saraceni
Quem é beta?, 1972, Nelson Pereira dos Santos
A faca e o rio, 1972, George Sluzer
A lenda de ubirajara, 1957, André Luiz de Oliveira
Ovelha negra, uma despedida de solteiro, 1975, Haroldo Marinho Barbosa
A nudez de alexandre, 1975, Pierre Kast
Padre cícero, 1975, Helder Martins de Moraes
Crônica de um industrial, 1976, Luiz Rosemberg Filho
Anchieta, josé do Brasil, 1976/77, Paulo César Saraceni
Na ponta da faca, 1977, Miguel Faria Jr.
Amor bandido, 1978, Bruno Barreto
O princípio do prazer, 1978, Luiz Carlos Lacerda
A rainha do rádio, 1979, Luiz Fernando Goulart

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.