Ano 15

Camila Amado

*07 de agosto de 1938 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de O casamento, 1976, Arnaldo Jabor
Cena de O casamento, 1976, Arnaldo Jabor
Grande parte de nossas atrizes escolheu o teatro como veículo predileto e de dedicação para suas carreiras. No entanto, quando essas mesmas atrizes levam sua arte também para as telas do cinema nacional, o que se vê, muitas vezes, são explosões de talento registradas para sempre pela lente do cinema. A carioca Camila Amado é, seguramente, um desses nomes.

Camila Amado sempre direcionou sua carreira para o teatro. E nesse espaço, explorou não só o trabalho de atriz como também de produtora e professora. A comédia As desgraças de uma criança e o clássico romântico A dama das camélias são alguns de seus sucessos no palco. A atriz estreou no cinema na década de 1970, período em que dá voz a uma das composições de personagem inesquecíveis do cinema brasileiro: a secretária Noêmia de O casamento. Adaptação de Arnaldo Jabor para o texto de Nelson Rodrigues para o cinema, o filme reúne também  os talentos de Paulo Porto e Adriana Prieto. O assassinato da personagem é uma das cenas mais poderosas do filme e fica para sempre na memória de quem assiste esse exasperado trabalho do cineasta.

Nos anos seguintes, Camila Amado continuou dedicando seu trabalho ao teatro, com participações esparsas também em novelas –  depois da estreia em 1969 em Um gosto amargo de festa, atuou em mais algumas produções, como Sol de verão (1982). No cinema, fica ausente durante anos e retorna no delicado As meninas, de Emiliano Ribeiro, em 1995, uma adaptação do romance homônimo de Lygia Fagundes Telles. Camila Amado entra os anos 200 brilhando no sensacional Amélia, da grande Ana Carolina, em dobradinha perfeita com a gigante e saudosa Myrian Muniz.


Filmografia

Quem tem medo de lobisomem, 1973, Reginaldo Farias
O casamento, 1976, Arnaldo Jabor
Parceiros da aventura, 1980, José Medeiros
As meninas, 1995, Emiliano Ribeiro
Os filhos de nelson, 2000, curta, Marcelo Santiago
Amélia, 2000, Ana Carolina
Condenado à liberdade, 2001, Emiliano Ribeiro
Copacabana, 2001, Carla Camurati
Carreiras, 2005, Domingos de Oliveira
Os desafinados, 2008, Walter Lima Jr
Verônica, 2008, Maurício Farias
Eu e meu guarda-chuva, 2010, Toni Vanzolini
O abismo prateado, 2011, Karim Ainouz


::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.