Ano 16

21a Mostra de Cinema de Tiradentes - Abertura

Cerimônia de Abertura - Mayra Motta - Crédito Jackson Romanelli
Mais uma vez a dobradinha Chico de Paula e Grazi Medrado acertou em cheio na direção da cerimônia de abertura da Mostra de Cinema de Tiradentes.

A abertura das mostras de cinema da Universo Produção - Tiradentes, Ouro Preto e Belo Horizonte - sempre são esperadas e já renderam cerimônias ótimas. No entanto, é importante ressaltar que as últimas edições se transformaram em verdadeiros momentos únicos com pegadas sempre cheias de som e fúria, e emocionantes, botando o dedo em questões urgentes e pulsantes, como golpe versus democracia, violência, negritude, feminismo, diversidade - e nessa 21a edição a temática é "Chamada Realista".

Como a abertura homenageou o talentosos ator Babu Santana, nome de destaque do Morro do Vidigal,  preto e favelado, e ainda exibiu o filme Café com canela, de Ary Rosa e Glenda Nicácio, em que ele atua em papel diferente de seus personagens anteriores -como um amoroso gay de gestos suaves e contidos em meio a uma vizinhança baiana negra -, a cerimônia foi, mais que tudo, um mergulho fundo e de reconhecimento da potência da negritude, na qual Babu já é referência no cinema pela sua trajetória artistica - dentre outros, ele interpretou ninguém menos que o cantor e compositor Tim Maia, um gênio da música brasileira.

Antes de Babu Santana subir ao palco com seus familiares para receber o Troféu Barroco e falar lindamente e improvisadamente sobre a homenagem - "Ouço muito falar em empoderamento nesse momento, e sei do que isso se trata pois de onde sou vivo e vejo isso o tempo todo", Chico e Grazi costuraram e construíram uma cena PRETA de tirar o fôlego para a cerimônia.

Na tela do cinema, imagens fascinantes e caleidoscópicas convidavam a um mergulho profundo em uma seleção arrebatadora, enquanto o Mestre de Cerimônias, o delicioso e performático David Maurity, da Toda Deseo, desencaretava e glitterizada qualquer tentativa de caretice, como aqueles inevitáveis e indesviáveis  discursos um tanto longos.

E na cena, mulheres pretas e homem preto poderosas elevavam a cerimônia ao patamar de alta fruição artística.

Como a arrebatadora Grazi Medrado, a preta dos olhos d´água mais abissais da cena artística belorizontina, aqui ora sentada falando texto acachapante e em performance suave furiosa, ora dançando pelo palco em gestos contidos e plenos de felicidade de luta urgente.

Como a bailarina e performance Mayra Motta, impressionante desde a entrada pelo meio da plateia até a dança contemporânea de farol ancestral deslizando pelo palco e projetando/desafiando/encantando na cara de cada um do público a pulsação xamântica do corpo negro e do corpo da mulher preta.

E como Preto Amparo, esse ator-Rei, esse homem-Rei até no nome, e pelo qual toda a história da negritude já se faz representada no seu lugar de direito.

Vendo todas aquelas minhas amigas pretas ali, a vontade era dar de louco - e acho que isso deve ter passado pela cabeça de muitas pretas e pretos que se sentiram ali completamente representados

- e, aliás, oponentes do Manifesto Trans, isso é que é Representatividade -

também me cobrir daqueles panos lindos que os envolviam, e dizer para todo o país - como eles linda e potentemente disseram para toda a plateia, que também recebeu lindamente todo aquele espetáculo  - que 

"Não, não vai parar".

Com a cerimônia de abertura, a homenagem  a Babu Santana, a temática "Chamada Realista" e a exibição de Café com canela, a 21a Mostra de Cinema de Tiradentes começou em alta potência e já mostrando a que veio.

Em tempo:
Café com canela merece um texto só para ele, o que virá depois.

****************************


Com a temática "Chamada Realista", acontece, de 19 a 27 de janeiro, a 21a Mostra de Cinema de Tiradentes - realizada pela Universo Produção - Raquel Hallak, Fernanda Hallak e Quintino Vargas, da Cineop e CineBH. A Mostra faz  uma homenagem ao ator Babu Santana, que receberá o Troféu Barroco e terá recentes e antigos filmes de sua trajetória exibidos.

A 21a Mostra de Cinema de Tiradentes é toda gratuita e formada por exibição de filmes, debates, seminários, lançamentos de livros, oficinas, shows, exposição e Cortejo da Arte.
Programação completa

www.mostratiradentes.com.br



Acompanhe a 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes e o programa Cinema Sem Fronteiras 2018.

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Na Web: mostratiradentes.com.br No Twitter: @universoprod

No Facebook: universoproducao / mostratiradentes

No Instagram: @universoproducao     Informações pelo telefone: (31) 3282-2366 

21ª  MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES | 19 a 27 de janeiro de 2018 

::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior