Ano 15

21a Mostra de Cinema Tiradentes -Quinto Dia

Cena de "IMO" (2017,MG), de Bruna Shelb Corrêa
Ontem, terça, 23, o Mulheres conferiu mais dois longas da programação da 21a Mostra de Cinema de Tiradentes.

A Mostra Olhos Livres é um recorte dentro da Mostra de Tiradentes volta para produções mais transgressoras, seja na estética, nos personagens, no tema proposto.

A atração de ontem foi o longa de ficção Navios de terra (2017, MG), de Simone Cortezão.

O filme, centrado nos personagens de Rômulo Braga e Shima, com o protagonismo para o primeiro, fala sobre a relação do homem com a natureza, marcada pela destruição e desrespeito.

E é, sobretudo, a relação desse homem com o espírito da terra, aqui a partir da fábula de deslocamento de uma montanha do Brasil para a China.

Rômulo, um trabalhador do minério, embarca como marinheiro para levar  a carga até a China. O filme se vale de sua solidão no navio - estrutura de ferro gigantesca a achatar o personagem -, permeada de encontros com outros tripulantes e sonhos agitados, até, finalmente, o encontro com o coração da terra e com o seu destino.

Simone Cortezão, a diretora, em apresentação do filme para a plateia no Cine-Tenda, denunciou a aniquilação de montanhas no país transportadas para outros países em mais de dezena de navios por dia. Ana Moravi, produtora do filme - e também cineasta - chamou atenção para os resultados dessa tragédia, lembrando Mariana e o atual surto de febre amarela.

Navios de terra usa dos silêncios, dos planos abertos e de poucos acontecimentos durante o trajeto no navio, explicitamente para evidenciar a solidão do personagem e de seu caminhar, o que, ainda que apropriado para a fábula, afasta um pouco a fruição.


Mostra Aurora

A Mostra Aurora apresentou seu segundo filme, IMO (2017, MG), de Bruna Schelb Corrêa - a Aurora é uma mostra competitiva formada por títulos de cineastas com até terceiros filmes.

Bruna Schelb Corrêa, na apresentação do filme no Cine-Tenda, ressaltou a importância de uma mulher estar na competição, de uma mulher na sua idade - recém saída da universidade -, e discutindo gênero.

IMO fala sobre a mulher. Fala sobre identidade de gênero. Fala sobre a violência sobre a mulher. Sobre o assédio. Sobre a objetificação. Sobre o calar de sua voz. 

Mas aqui, sobre sua revanche, a partir de três mulheres, interpretadas por Giovanna Tintori, MC Xuxu e Helena Frade.

Em tom onírico, mas sem abrir mão de cenas mais pesadas, IMO tem como grande destaque a apresentação da discussão de gênero, sobretudo no reconhecimento dos corpos - daí a feliz e importante escalação de Mc Xuxu.

IMO é todo filmado sem diálogos, mas com uso abundante do som - toques de telefone, cantos de pássaros, balbúrdia masculina.

IMO tem, na imagem, a procura pelo sentido de estado de coisas a transmitir, ainda que na tela esse "discurso" nem sempre se realize de forma tão potente como o que está sendo dito.


************

A 21a Mostra de Cinema de Tiradentes - de 19 a 27 de janeiro - é toda gratuita e formada por exibição de filmes, debates, seminários, lançamentos de livros, oficinas, shows, exposição e Cortejo da Arte.

Programação completa
www.mostratiradentes.com.br



::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior