Ano 16

22a Mostra de Tiradentes - Debate Grace Passô

Seminário Debate "A Presença de Grace Passô" - Credito: Beto Staino
Não é mais surpresa o fato de que o público compareça em massa em todas as exibições da Mostra de Cinema de Tiradentes, seja no Cine Tenda, no Cine Praça, ou no Cine Teatro. Ainda assim é uma alegria renovada ver cada cadeira do Cine Teatro ocupada em uma das atrações mais bem-sucedidas da Mostra: o Seminário Encontro com os Filmes. Como também é o Seminário Debate.

É nesse momento da programação que o público tem a oportunidade de ficar cara a cara com os realizadores do filme visto no dia anterior. E o mesmo vale para os realizadores. 

Nos Seminário há todo um arco construído:
- O mediador introduz o filme;
- O crítico e/pesquisador convidado apresenta suas considerações;
- As diretoras e/ou diretores e suas equipes apresentam seus filmes a partir das considerações da mesa;
- O público pergunta.

O Seminário Debate "A Presença de Grace Passô" foi uma oportunidade para que público, dentre ele a imprensa, pudesse se debruçar no universo da atriz, dramaturga e diretora que é hoje, inquestionavelmente, um dos maiores nomes das artes do país.

A pesquisadora, historiadora e escritora do Distrito Federal, Natália Batista, fez um breve relato sobre a trajetória de Grace, ressaltando a coerência desse caminhar, seja pelos temas que a dramaturga aborda, seja na postura frente a esses temas.

Natália contou que havia entrevistado Grace anos antes - parece que em 2005 -, e que agora, mais de década depois, gostaria de repercutir algumas questões abordadas lá para essa Grace de hoje - no que a artista divertiu a plateia ao comentar de pronto "Que medo!".

Uma das questões era sobre a relação de Grace com sua escrita para o teatro a partir do valor literário de seus textos. Grace contou que seu sonho, seu desejo primeiro, naquela época, era publicar suas peças, algo que veio a acontecer somente muitos anos depois e já com esses textos encenados. Que essa sua postura tinha um tanto do legado romântico de todo escritor, mas que hoje percebe, depois de tanta estrada, que os caminhos podem ser outros, ainda mais levando-se em conta o teatro colaborativo com o qual se envolveu nos grupos teatrais que se inseriu, notadamente no Espanca!

Se a partir das colocações da pesquisadora, como também da produtora e gestora cultural Aline Vila Real, Grace enveredou-se por sua trajetória nos palcos, o cineasta André Novais Oliveira, que dirigiu Grace no longa Temporada, que já valeu a ela os prêmios de Melhor Atriz nos Festivais de Brasília e de Turin (Itália) - trouxe a discussão para o cinema.

Dentre outras coisas, André contou o tanto que ficou impressionado com as possibilidades de Grace, tanto no entendimento da personagem como nas construção de todo o tônus do filme. E divertiu a plateia ao dizer que ela fez coisas com a personagem que ele não havia dito para ela fazer, mas que ela fez o que ele quis que ela tivesse feito.

Ainda no campo do cinema, Grace disse da dificuldade de um ator estar no cinema, que não é um caminho fácil, e de que ficara um bom tempo para estrear no cinema porque nos convites que recebia, como também para a televisão além de, muitas vezes, os personagens serem estereótipos, o roteiro definia o personagem pelo tipo físico, que isso já vinha definido. E que isso a desestimulava, já que, ainda mais por ser uma atriz de teatro, o que mais a instigava era exatamente o alargamento dos corpos. "E eu não sou propriamente um tipo de corpo que, geralmente, o cinema eleje, não é?", questionou.

O Seminário Debate A Presença de Grace Passô foi apenas o primeiro contato direto dela com o público nesse formato, já que mais duas oportunidades estão na programação: O Seminário Encontros com os Filmes - Vaga Carne; e o Seminário Encontro com os Filmes - Temporada.

Realmente momentos raros para estar com uma artista em seu momento pleno.


*****************

22a Mostra de Cinema de Tiradentes - De 18 a 26 de janeiro de 2019
Programação Completa:
www.mostratiradentes.com.br


::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior