Ano 16

14a Cineop - Programaçao Geral

Foto: Gilda Brasileiro- contra o esquecimento, de Roberto Manhães Reis e Viola Scheuerer
Com a temática "Territórios Regionais, Inquietações Históricas", homenagem ao cineasta baiano Edgar Navarro, e a exibição de 105 filmes acontece, de 5 a 10 de junho a 14a Cineop - Mostra de Cinema de Ouro Preto.

Realizada pela Universo Produção - Raquel Halak, Quintino Vargas, Fernanda Halak -, a Cineop focaliza o cinema como patrimônio a partir da preservação audiovisual, memória, história.

A programação é toca gratuita e acontece no belo Cine Vila Rica, Praça Tiradentes e Centro de Convenções. A agenda é extensa e é formada por exbição de filmes, seminários, debates, Encontros de Arquivos, Encontro da Edução, oficinas, sessões-escola, cortejo,lançamentos de livros e atrações artísticas.

Na programação de filmes em 2019, serão 105 títulos (12 longas, 4 médias e 89 curtas), distribuídos nas mostras: Homenagem, Contemporânea, Preservação, Histórica, Educação, Mostrinha e Cine-Escola. As atividades da 14a CineOP ocupam os três espaços, sendo o Centro de Artes e Convenções a sede do evento e abriga a programação de oficinas, encontros e debates temáticos do Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros e do Encontro da Educação: XI Fórum da Rede Kino. 

A abertura da 14a CineOP será na noite de 6 de junho (quinta-feira), no Cine Vila Rica, a partir das 20h30, com homenagem e entrega do Troféu Vila Rica ao diretor Edgard Navarro. O cineasta baiano estará no evento comemorando 70 anos de idade e 30 anos do lançamento de seu trabalho mais conhecido, “Superoutro” (1989). O média-metragem será exibido na noite inaugural, junto ao curta “Exposed” (1978), antecedido de uma performance audiovisual. 

Eixos

A programação da 14a Cineop é formada por três eixos: do evento é estruturada em três eixos principais: Preservação, História e Educação. 

Temática Histórica 

Destaque para núcleos de produção fora do eixo RJ-SP. Algumas das experiências a serem apresentadas com filmes e mesas de debate vêm da Porto Alegre dos anos 1980, com a Casa de Cinema; de trabalhos coletivos, como o Grupo Mel de Abelha, do Piauí, e a Corcina (Cooperativa dos Realizadores Cinematográficos Autônomos), do Rio de Janeiro; e de eventos de formação e compartilhamento, como a Jornada de Cinema da Bahia, os festivais de Super-8 nos anos 1970 e o Cineclube Antônio das Mortes, de Goiás.

 Serão exibidos na programação da Mostra Histórica filmes como “Inverno” (Carlos Gerbase, 1983), “O Milagre de Lourdes” (Carlos Alberto Prates Correia, 1965) e “A Luminosa Espera do Apocalipse” (Rui Vezzaro, Fernando Severo e Peter Lorenzo, 1980).. 

Haverá a mesa “Circuitos regionais e cinema independente”, com as presenças da historiadora Alice Dubina Trusz,  autora do livro “Verdes Anos: Memórias de um Filme e de uma Geração”, e dos cineastas Sérgio Péo e Sylvio Lanna, ambos com filmes na programação.

e, por fim, a homenagem ao cineasta baiano Edgar Navarro com a exibição,, além dos filmes da abertura, os curtas “Lin e Katazan” (1979), “O Rei do Cagaço” (1977), “Porta de Fogo” (1984) e “Talento Demais” (1995). Uma roda de conversa com Navarro, aberta a todo o público, será realizada durante a mostra. 


Temática Preservação 

Na Temática Preservação, a proposição é  “A regionalização e a formação do patrimônio audiovisual brasileiro”. Na programação de filmes, a Mostra Preservação exibe e discute, entre outros, “Rio da Dúvida” (2018), de Joel Pizzini, e curtas históricos brasileiros e franceses de diversas épocas e regiões. 


Temática Educação

Na Temática Educação, com curadoria de Adriana Fresquet e Clarisse Alvarenga, o enfoque é “Mulheres: terras e movimentos”. 

Segundo as curadoras, "O propósito será refletir sobre a atuação das mulheres no campo do Cinema e da Educação, tendo como ponto de partida o vínculo com a terra, com os territórios e espaços que elas ocupam na sociedade. Trazem para o debate Filmes e Projetos Audiovisuais Educativos que abordam os movimentos que as mulheres fazem ocupando desde os lugares específicos onde vivem, no ambiente doméstico, familiar, privado e as intervenções que elas empreendem nos espaços públicos, incluindo escolas, cidades, aldeias indígenas, quilombos, organizações da sociedade civil ou instituições públicas, urbanas, do campo, indígenas ou quilombolas".

Acontecerão os debates do Encontro da Educação: XI Fórum da Rede Kino (Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual). Na programação,  apresentação e debate de 35 filmes e 12 projetos, com foco na construção da história e da memória da mulher na escola e suas intervenções e alterações no espaço pedagógico. 

Nas mesas, a temática será explorada em encontros como “Mulheres, terras e territórios”, que vai reunir Célia Xakriabá (professora e ativista do movimento indígena) e Mãe Efigênia (Quilombo Manzo Ngunzo Kaiango) para comentarem as experiências singulares de pedagogia e aprendizado em seus espaços de ação e cultura; e “As mulheres negras no cinema”, com Alexia Melo (arte-educadora e realizadora audiovisual), Janaína Oliveira (pesquisadora e curadora) e Makota Kidoiale (coordenadora do projeto Kizomba). 


Filmes Mostra Contemporânea 

Na seleção de longas e médias-metragens contemporâneos, , segundo os curadores Francis Vogner dos Reis e Lila Foster, "trabalhos que, de alguma forma, dialoguem com a memória, o arquivo e as noções de território e espaço que permeiam a Mostra em 2019. Chegaram a um conjunto de sete títulos em pré-estreia que vão de perfis de personalidades do audiovisual à abordagem etnográfica de comunidades e culturas específicas". 

Entre os títulos, estão “A Mulher da Luz Própria”, de Sinai Sganzerla;“Carvana”, de Lulu Corrêa, “Gilda Brasileiro, Contra o Esquecimento”, de Roberto Manhães Reis e Viola Scheuerer, “Até Onde Pode Chegar um Filme de Família”, de Rodolfo Nazareth Junqueira Fonseca.

Na seleção de curtas-metragens, a cargo de Camila Vieira, são 14 títulos contemporâneos, como  “Arara - Um Filme Sobre Um Filme Sobrevivente”, de Lipe Canêdo,  “Sem título #5: A Rotina terá seu Enquanto”, de Carlos Adriano

***
Acompanhe a 14ª CineOP - Mostra de Cinema de Ouro Preto e o programa Cinema Sem Fronteiras 2019.

Participe da Campanha #EufaçoaMostra
Na Web: cineop.com.br
No Twitter: @universoprod
No Facebook: universoproducao / CineOP
No Instagram: @universoproducao
Informações pelo telefone: (31) 3282-2366

 
SERVIÇO

 14ª CINEOP - MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO | 5 a 10 de junho de 2019 
LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA
LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA
Patrocínio:  CEMIG |GOVERNO DE MINAS GERAIS
Parceria Cultural: Sesc em Minas
Parceria: Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Apoio: Oi, Instituto Universo Cultural, Café 3 Corações,  Prefeitura de Ouro Preto, Embaixada da França no Brasil, Rede Globo Minas, Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto, DotCine, PMMG
Incentivo: SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA| MINAS GERAIS
Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO
SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA| MINISTÉRIO DA CIDADANIA | GOVERNO FEDERAL

LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO EVENTO 
Cine Vila Rica
Praça Tiradentes
Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto

::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior