Ano 16

14a Cineop - Roger Deff

Show "Etnografia Suburbana", Roger Deff - Crédito: Jackson Romanelli/Universo Produção
As Mostras realizadas pela Universo Produção - Mostra de Cinema de Tiradentes, Cineop - Mostra de Cinema de Ouro Preto e CineBH - Mostra de Cinema de Belo Horizonte - oferecem uma programação extensa e gratuita.

No cardápio, exibições de filmes - curtas, médias e longas -, oficinas, seminários, debates, lançamentos de livros e atrações artísticas.

Os shows apresentados são um capítulo à parte. Em edições anteriores nas três cidades, aconteceram shows inesquecíveis de cantoras e cantores os mais diversos.

São muitos os destaques, mas podemos citar alguns, como Ava Rocha, Verônica Sabino, Veronez, Tom Zé, Jaloo.

Na 14a Cineop - Mostra de Cinema de Ouro Preto, a Universo dá sequência às apresentações de shows. que acontecem no Sesc Cine Louge, no Centro de Artes e Convenções.

No Sábado, 9, duas apresentações empolgaram o público, que compareceu em peso.

O primeiro show foi do rapper Roger Deff, que acabou de lançar em Belo Horizonte o CD "Etnografia Suburbana", nome também do show , que contou com ótima banda e backing-vocal  de arrepiar da rapper Michelle Oliveira.

Roger Deff é nome referência no rap mineiro. Suas composições tocam no nervo da negritude e de todos os revezes disso, como o racismo e a violência, e também a altivez e a afirmação.

Deff é também jornalista, e, talvez, também daí, somado ao do fato de ser negro, advém a potencialização do olhar agudo para o nosso tempo, suas questões, suas urgências e suas pulsões.

A música de Roger Deff é urbana, é denúncia, é política, é social.

Sua geografia é a periferia e o centro, pulmões formadores de todo um povo e de toda uma cultura de um país, ainda que genocidamente vilipendiados.

Tanto no CD como no show, que conta com repertório ampliado para além do disco, estão as músicas de letras rigorosamente construídas e a interpretação  vigorosa do artista.

A música de Roger Deff é, sobretudo, negra. 

E é, cheia de vigor, amor, tesão, denúncia e fúria,  radiografia de um artista em seu tempo.


Chama o Síndico

Um dos blocos que arrebatam grande público para as ruas em Belo Horizonte, Chama o Síndico é um dos coletivos que reconfiguraram o carnaval na capital mineira.

Na rua e no nome, o bloco reverencia Tim Maia e Jorge Ben Jor, transportado para o palco   em show a genialidade dos dois artistas em uma formação que esquenta as turbinas: bateria, cordas, metais e um trio de vocalistas.

No tempo frio de Ouro Preto, Chama o Síndico esquentou a noite e empolgou o público, notadamente jovem, que varou a madrugada acompanhando o repertório dos compositores e cantores apresentados em vários ritmos e em temperatura elevada.


**********

14a Cineop - Mostra de Cinema de Ouro Preto
Programação completa
www.cineop.com.br

::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior