Ano 15

Mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro

Cena de Olhos de vampa, 1996, Walter Rogério
Não sei se é o caso de vocês, mas o cinema de gênero é um xodó desse editor na história do cinema brasileiro.

E nele, o horror é um capítulo especial.

O gênero foi muitas vezes visitados por geniais cineastas, seja por aqueles que fizeram dele seu habitat natural, como José Mojica Marins, outros que o subverteram como o criador do “Terrir” Ivan Cardoso, ou ainda outros que fortaleceram o gênero com seus olhares mais que pessoais, como Carlos Hugo Christensen, Walter Hugo Khouri e Jean Garret.

Afinal, quem ainda não assistiu À meia noite levarei sua alma (1964) e Esta noite encarnarei no teu cadáver (1966) – ambos de Mojica, O segredo da múmia (1977/81) e As sete vampiras (1984/86) – ambos de Cardoso, Enigma para demônios (1975), de Christensen, As filhas do fogo (1978), de Khouri; e Excitação (1976), de Garret, não sabe o que está perdendo.

No cinema brasileiro atual, alguns nomes vêm se destacando como Rodrigo Aragão, Dennison Ramalho,Christian Saghaard, Juliana Rojas e Marco Dutra, além de toda uma nova geração com uma produção contínua, grande parte dela alocada no chamado Cinema de Bordas, que são filmes independentes e de baixo orçamento.

Além disso, o pensamento crítico na internet também vem cumprindo papel fundamental no resgate e no olhar para essa seara, como o blog indesviável de Laura Cánepo,"Medo de quê!" – Laura foi entrevista pelo Mulheres do Cinema Brasileiro; ver em Elas por Elas.

Pois bem, a melhor notícia é que Belo Horizonte ganha uma mostra totalmente dedicada ao horror, notadamente na produção dos anos 1990 até os dias atuais. É a Mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo, que tem como coordenador e curador o crítico e entendido no assunto Marcelo Miranda. Toda a programação é gratuita.

Formada por 39 filmes – 23 longas e 16 curtas, além de palestras e debates, a Mostra Medo e Delírio começa nessa sexta, dia 24, e vai até o dia 2 de novembro – data mais que significativa – no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes. Dos 39 filmes, 22 serão exibidos em película.

Para a ocasião, foi produzido também um catálogo com textos inéditos e fichas técnicas.
A abertura vai contar com a exibição do curta Sexta-feira da paixão, de Ivo Costa, e do longa Encarnação do demônio, de José Mojica Marins – fim da trilogia do Zé Caixão iniciada em 1964 com À meia-noite..., portanto marcando 50 anos de seu lançamento.

Os filmes que compõem a Mostra são de fato de horror ou de outros gêneros que incorporaram seus elementos, como o suspense, o policial e a comédia.

Para o curador, um dos destaques é a cópia de Olhos de vampa (1996), que será exibida pela primeira vez na versão do diretor, Walter Rogério.

Já a programação de palestras e debate será mesmo um capítulo especial:

- No dia 28/10 (terça-feira), o pesquisador e especialista em filmes de horror Carlos Primati vai abordar a temática “Cinema de horror: das origens ao abrasileiramento”.  

- No dia 30/10 (quinta-feira), o professor e pesquisador Rodrigo Carreiro e as diretoras e roteiristas Juliana Rojas e Gabriela Amaral Almeida participam do debate intitulado “Cinema de terror: gênero brasileiro?”.

- No dia 1º/11 (sábado), a professora e pesquisadora Laura Cánepa vai ministrar a palestra “Medo de quê? Uma história do horror no cinema brasileiro”.


Na Mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo o público de Belo Horizonte e região poderá conferir tanto filmes que marcaram época como o longa Escorpião escarlate, de Ivan Cardoso, filmes premiados como o curta O duplo, de Juliana Rojas, e inéditos como o curta A Morte e morte de Johnny Zombie, de Gabriel Carneiro.


A mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo está sendo realizada pela Enquadramento Produções, com recursos da Fundação Municipal de Cultura, via Lei Municipal de Incentivo à Cultura.
 
Confira a programação abaixo.
 
Mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo
Cine Humberto Mauro - 24/10 a 02/11
 
Entrada gratuita. Retirada de ingressos 30 minutos antes de cada sessão. Palestras e debate não exigem inscrição prévia, mas a entrada é condicionada à capacidade de lotação dos espaços.
 
24 SEX
17h “A Menina do Algodão” (Dir.: Kleber Mendonça Filho e Daniel Bandeira * 8 min) + “O Fim da Picada” (Dir.: Christian Saghaard  * 80 min)
19h “Um Ramo” (Dir.: Juliana Rojas e Marco Dutra * 15 min) + “Corpo” (Dir.: Rubens Rewald e Rossana Foglia * 85 min)
21h ABERTURA: “Sexta-feira da Paixão” (Dir.: Ivo Costa * 17 min) + “Encarnação do Demônio” (Dir.: José Mojica Marins * 94 min).
 
25 SÁB
16h “Achados e Perdidos” (Dir.: José Joffily * 100 min)
18h “O Escorpião Escarlate” (Dir.: Ivan Cardoso * 90 min)
20h “O Membro Decaído” (Dir.: Lucas Sá * 17 min) + “Olhos de Vampa” (Dir.: Walter Rogério
* 74 min)
 
26 DOM
16h “O Duplo” (Dir.: Juliana Rojas * 25 min) + “Gêmeas” (Dir.: Andrucha Waddington * 75 min)
18h “A Morte e Morte de Johnny Zombie” (Dir.: Gabriel Carneiro * 14 min) + “Mar Negro” (Dir.: Rodrigo Aragão * 96 min)
20h “A Lasanha Assassina” (Dir.: Ale McHaddo * 8 min) + “Morgue Story: Sangue, Baiacu & Quadrinhos” (Dir.: Paulo Biscaia Filho * 78 min)
 
27 SEG
17h “Espeto” (Dir.: Guilherme Marback e Sara Silveira * 17 min) + “Desaparecidos” (Dir.: David Schürmann * 73 min)
21h “O Hóspede” (Dir.: Anacã Agra e Ramon Porto Mota * 17 min) + “Um Lobisomem na Amazônia” (Dir.: Ivan Cardoso * 75 min)
 
28 TER
17h “Amor só de Mãe” (Dir.: Dennison Ramalho * 20 min) + “Strovengah – Amor Torto” (88 min)
19h Palestra: “Cinema de horror: das origens ao abrasileiramento”, por Carlos Primati, pesquisador e especialista em filmes de horror.
21h “Encosto” (Dir.: Joel Caetano * 7 min) + “Bellini e o Demônio” (Dir.: Marcelo Galvão * 20 min)
 
29 QUA
17h “Bufo & Spallanzani” (Dir.: Flávio R. Tambellini * 96 min)
19h “Ninjas” (Dir.: Dennison Ramalho * 15 min) + “FilmeFobia” (Dir.: Kiko Goifman * 80 min)
21h “Mangue Negro” (Dir.: Rodrigo Aragão * 104 min)
 
30 QUI
14h45 “O Xangô de Baker Street” (Dir.: Miguel Faria Jr * 123 min)
19h15 Debate: “Cinema de terror: gênero brasileiro?”, com Rodrigo Carreiro (professor e pesquisador), Juliana Rojas (diretora e roteirista) e Gabriela Amaral Almeida (diretora e roteirista)
21h15 “Vinil Verde” (Dir.: Kleber Mendonça Filho * 13 min) + “Quando Eu Era Vivo” (Dir.: Marco Dutra * 80 min)
 
31 SEX
15h “Sintomas” (Dir.: Fernando Mantelli * 25 min) + “Trabalhar Cansa” (Dir.: Juliana Rojas e Marco Dutra * 100 min)
17h15 “Sem Controle” (Dir.: Cris D'Amato * 92 min)
19h “A Mão que Afaga” (Dir.: Gabriela Amaral Almeida * 19 min) + “Nervo Craniano Zero” (Dir.: Paulo Biscaia Filho * 80 min)
21h “Encarnação do Demônio” (Dir.: José Mojica Marins * 94 min)
1 SÁB
16h “Amor só de Mãe” (Dir.: Dennison Ramalho 20 min) + “Strovengah – Amor Torto” (Dir.: André Sampaio * 88 min)
18h Palestra: “Medo de quê? Uma história do horror no cinema brasileiro”, com Laura Cánepa, professora e pesquisadora
20h30 – “A Menina do Algodão” (Dir.: Kleber Mendonça Filho e Daniel Bandeira * 8 min) + “O Fim da Picada” (Dir.: Christian Saghaard * 80 min)
 
2 DOM
16h “A Noite do Chupacabras” (Dir.: Rodrigo Aragão * 106 min)
18h “O Lençol Branco” (Dir.: Juliana Rojas e Marco Dutra * 17 min) + “Brasília 18%” (Dir.: Nelson Pereira dos Santos * 106 min)
20h15 “O Membro Decaído” (Dir.: Lucas Sá * 17 min) + “Olhos de Vampa” (Dir.: Walter Rogério* 74 min)
 
 
Serviço
Mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo
24 de outubro a 2 de novembro
Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537, Centro - Belo Horizonte)
Entrada franca
Informações www.medoedelirio.com.br  
 


::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior