Ano 16

Capitu, 1968, Paulo Cézar Saraceni

bolorenta adaptação de Machado

A turma do Cinema Novo fez muita adaptação literária - Paulo Cézar Saraceni, Leon Hirszman, Joaquim Pedro de Andrade, Arnaldo Jabor. O próprio Saraceni tem paixão pelo universo de Lúcio Cardoso e fez o belo A Casa Assassinada. Mas dessa vez o cineasta não foi muito feliz em seu mergulho no clássico de Machado de Assis. Ainda que conte com as participações luxuosas do casal Paulo Emílio Salles Gomes e Lygia Fagundes Telles no roteiro - ela também nos diálogos -, há um tom de bolor nessa adaptação de "Dom Casmurro".

O ponto alto é a produção luxuosa, com amplo destaque para a bela fotografia de Mário Carneiro. Só que falta frescor na direção de atores, que estão muito empostados, e Raul Cortez, como Escobar, parece ser o único que não se leva a sério demais e com isso traz para seu personagem o frescor inexistente nos outros.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010
longas brasileiros em 2010 (9)


::Voltar
Sala 
 Léa Garcia
Dona de um talento ímpar e altivo, Léa Garcia brilha no teatro, na TV e no cinema.