Ano 15

Divã, 2009, José Alvarenga Jr

Um filme para Lília Cabral

Divã é uma peça que Lilia Cabral encenou com sucesso  durante vários anos pelo Brasil. A partir dos escritos de Martha Medeiros, a dramaturgia  explorou bem o talento da atriz intercalando drama e comédia. Por isso, sua adaptação para o cinema poderia ser uma armadilha, mas não foi o que aconteceu. 


Ainda que no teatro a trama tenha se desenvolvido melhor, já que no cinema teve que se usar muito o recurso de flashback, a adaptação não deixou de ser divertida. A direção de José Alvarenga Jr  funciona, ainda que o roteiro escorregue em alguns estereótipos, como no salão de beleza.

Lilia Cabral levou para o filme toda a intimidade com a personagem Mercedes, uma mulher que reavalia sua vida em um consultório terapêutico. A atriz está excelente em cena, como também sua parceira de palco, e agora nas telas,  Alexandra Richter. O texto de Martha Medeiros é mesmo inspirado e destacam-se também  as boas atuações de José Mayer e Reynaldo Gianechini

::Voltar
Sala 
 Adriana Prieto
Bela e talentosa, em persona marcada por postura maliciosamente crítica e desafiadora.