Ano 16

Noite de São João, 2003, Sérgio Silva

Senhorita Julia no sul do Brasil

Bela produção do sul do país dirigida pelo talentoso cineasta de Anahy de las Missiones, Sérgio Silva, Noite de São João transporta a trama de "Senhorita Julia", de August Strindberg, para uma fazenda na Porto Alegre do início do século XX. Um coronel deixa a casa grande para uma de suas noitadas, mas permite aos seus camponeses os festejos da tradicional noite de São João no galpão da propriedade. Tudo correria como sempre, com os empregados sacolejando na terra vermelha batida em meio à canjica , rapadura e quentão, não fosse a aparição surpresa da arrogante Júlia, filha do patrão. Ela chega de nariz em pé, mas depois de um quentão e outro vai abaixando o dito e roçando fundo nas peles fedidas a curtume dos peões. Só que sua preferência mesmo é por João, o capataz, que está de noivado não oficial com a empregada Joana. Julia seduz João na base da ordem de cabestro, mas quanto mais a noite avança, a arrogância vai dando lugar a uma fragilidade que não será poupada pelo rapaz. 

O cineasta Sérgio Silva mantém com rigor as rédeas desse seu segundo longa, que interessa sempre. Há no entanto um erro de escalação e que contamina muito o resultado final. Fernanda Rodrigues é uma boa atriz, mas sua composição para a senhorita Julia está sempre um tom acima ou um tom abaixo do pretendido. Como é a protagonista, o filme ressente de uma entrega mais orgânica, que é o caso de Marcelo Serrado como João, e de Dira Paes como Joana. Serrado é um belo ator e um belo homem, o que convence o deslocamento de 180 graus da moça. Já Dira é grande atriz e ainda que seu personagem seja o menor dos três, ela segura as pontas bem. Noite de São João, assim como "Senhorita Julia", flagra esse nova mulher do século, ainda dividida entre uma postura de conquistas e o pé no armarinho. Há um olhar cruel sobre essa personagem que ousa, ainda que aqui subtraída de sutilezas necessárias para que possamos mergulhar sem rede de proteção e sem julgarmos também essa voz incômoda.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010
longas brasileiros em 2010 (48)


::Voltar
Sala 
 Léa Garcia
Dona de um talento ímpar e altivo, Léa Garcia brilha no teatro, na TV e no cinema.