Ano 16

E proibido beijar, 1954, Ugo Lombardi

Trama divertida da Vera Cruz

No estilo daqueles filmes sapecas de dupla, como Katherine Hepburn & Cary Grant ou Doris Day & Rock Hudson, esse É Proibido Beijar é uma produção da Vera Cruz. Aqui quem faz o casal é Tonia Carrero & Mário Sérgio. Mário é Eduardo, um colunista social que sonha migrar para a página policial no jornal em que trabalha. Já Tônia é June, inicialmente uma atriz rival de Rita Hayworth louquinha louquinha, e que inferniza o galã ao esconder sua identidade e reais intenções. O jogo de gato e rato é divertido e põe ainda no balaio Inezita Barroso, noiva do rapaz, mais Ziembinski e Otelo Zelloni, que a gente fica por um bom tempo sem saber quem são. 

A São Paulo dos anos 1950 que vemos na tela quase não lembra a de hoje, que pouco depois já estaria empestiada da feia fumaça. E quando assistimos a gincana no Guarujá com brincadeiras do tempo do onça, como quebra de pote e bebeção de refrigerante em um gole só, aí é que acreditamos que aquele era mesmo um outro mundo. O casal tem química, ainda que Tônia esteja com a idade já um pouquinho pra lá quando faz biquinho, choraminga, e chama papai papai. E ela está linda, mais ainda nem tão grande atriz como se revelaria mais tarde. Já Mário, além de ser um homem bonito e charmoso, mais uma vez está ótimo ator. E já antevemos porque Adrea Bayard e Lola Brah suspirariam - e a gente junto - pelo galã alguns anos depois em trama Khouriana.

domingo, 7 de março de 2010
longas brasileiros em 2010 (56)


::Voltar
Sala 
 Léa Garcia
Dona de um talento ímpar e altivo, Léa Garcia brilha no teatro, na TV e no cinema.