Ano 15

Filhas do vento, 2004, Joel Zito Araújo

Belo encontro de duas grandes atrizes

Dirigido por Joel Zito Araújo, do belo documentário A negação do Brasil, Filhas do vento é um filme que a gente assiste já querendo gostar. E a sensação, ao sair da sala do cinema, não fica longe disso. E por que queremos gostar? Porque é mesmo admirável uma produção como essa, em que um elenco negro estelar protagoniza uma história universal, e não de gueto ou panfletagem. Não é a tôa que Ruth de Souza, importante atriz do cinema brasileiro, diz, no making –off da produção, que é o filme mais importante de sua carreira.  

Em princípio parece um exagero, pois é claro que há, na longa e premiada carreira de Ruth de Souza, filmes muito mais vigorosos, como Assalto ao tem pagador (1962), de Roberto Farias, por exemplo. Mas é completamente compreensível entender o que ela diz, afinal estão ali no filme todas as questões pretendidas e solicitadas amiúde pelos atores negros: uma boa história protagonizada por eles e bons personagens, em que não há lugar para estereótipos comuns quando eles são escalados. O filme, claro, fala da questão racial e social, e seria mesmo impossível não falar. Mas fala sem panfletagem ou discurso.  

Filhas do vento tem problemas? Tem. Como por exemplo, uma certa simplificação no acerto de contas final entre as duas irmãs, Ju (Lea) e Cida (Ruth); ou uma direção por vezes frouxa em algumas cenas. Tem acertos? Muitos. Só o fato de colocar Ruth de Souza e a maravilhosa Lea Garcia, estupenda atriz de filmes memoráveis como Ganga zumba (1964 - Carlos Diegues),  como protagonistas em um mesmo filme já é um mérito inquestionável da produção e da direção.

E tem ainda: mais um desempenho magistral de Milton Gonçalves; ótimas presenças de Thalma de Freitas e Taís Araújo como as irmãs na juventude; bela dobradinha de Rocco Pitanga e Zózimo Bulbul como o eterno amante de Ju; a locação em Lavras Novas, Minas Gerais, oferecendo um belo cenário natural pouco explorado.  

No elenco feminino, há papéis destacados também para Maria Ceiça e a bela Danielle Ornelas, respectivamente, como as filhas de Cida e Ju. Na ficha técnica o filme conta com as presenças de Andréa Velloso na Direção de Arte e Isabela Monteiro de castro na Edição de Som. A música do filme é assinada por Marcus Viana.  

Filhas do vento ganhou seis prêmios no Festival de Gramado 2004: Melhor Diretor, Melhor Ator (Mílton Gonçalves), Melhor Atriz (Ruth de Souza e Léa Garcia), Melhor Ator Coadjuvante (Rocco Pitanga), Melhor Atriz Coadjuvante (Taís Araújo e Thalma de Freitas) e Prêmio da Crítica. 


Filhas do vento
Brasil, 2004, 1h25. Direção: Joel Zito Araújo

::Voltar
Sala 
 Adriana Prieto
Bela e talentosa, em persona marcada por postura maliciosamente crítica e desafiadora.