Ano 15

Talentos revelados

Arieta Correia Fabíula Nascimento Nash Laila

É claro que o prêmio de Melhor atriz para Sandra Corveloni no Festival de Cannes 2008 por Linha de passe, de Walter Salles e Daniela Thomas, foi uma ótima e bem-vinda surpresa. E tem mesmo que ser comemorado. Surpresa porque até então ela desconhecida do grande público.

E se olharmos bem para a história do cinema brasileiro um fato se impõe: a cada fornada de filmes vão surgindo novos e talentosíssimos nomes. Só para ficarmos no elenco feminino - objeto desse site -, e apenas considerando as últimas três décadas, foi assim com Fernanda Torres, Dira Paes, Ana Beatriz Nogueira e Marcélia Cartaxo nos anos 1980; com Leona Cavalli nos anos 1990; e com Hermila Guedes, Alice Braga, Carla Ribas, Rosane Mulholland e Tainá Muller nesses anos 2000.

E essa impressionante marca do cinema brasileiro, que sempre se pautou por grandes atrizes – um dos motivos de existência desse site – continua a revelar e revelar nomes. Três dos últimos filmes brasileiros que estiveram em cartaz nos cinemas ou em festivais vêm somar mais alguns novos e grandes talentos a essa verdadeira constelação.


Arieta Correia 

Marcelo Masagão não é dos cineastas mais populares. Depois da consagração imediata com o belíssimo documentário Nós que aqui estamos por vós esperamos (1998), nunca mais foi unanimidade – seu 1,99 – um supermercado que vende palavras (2003) é mesmo uma decepção. Mas em seu novo filme, Otávio e as letras (2007), ele volta a demonstrar porque é um dos cineastas mais singulares do atual cinema brasileiro. E em Otávio e as letras ele contou com a presença arrebatadora da atriz Arieta Corrêa. Com trabalhos na televisão e no teatro, a paulista Arieta Corrêa tem seu primeiro e grande momento nas telas do cinema brasileiro. 


Fabíula Nascimento 

Marcos Jorge escalou João Miguel para protagonizar seu filme Estômago (2007) e acertou em cheio. Mas além da ótima direção e da composição perfeita de João Miguel para o nordestino Raimundo Nonato, o filme tem outro trunfo chamado Fabiúla Nascimento. A atriz curitibana está perfeita como Iria, a prostituta por quem Raimundo Nonato cai de amores. Desconhecida do grande público, Fabiúla Nascimento é outra presença inesquecível em nossas telas.


Nash Laila

Em 1997, Paulo Caldas e Lírio Ferreira abalaram o cinema nacional com o impactante Baile perfumado. Depois, cada um seguiu caminhos separados, mas com a garantia de continuidade de cinema de qualidade. Paulo Caldas vem aí com mais um ótimo filme, apresentado até então em vários festivais: Deserto feliz (2007). Em seu novo trabalho ele fala de turismo sexual, contrabando de animais silvestres e uma história de amor entre uma prostituta adolescente e um turista alemão. E para protagonista, Paulo Caldas escalou a pernambucana Nash Laila. A jovem atriz compõe Jéssica com brilho e entrega.

Arieta Correia, Fabíula Nascimento e Nash Laila. Três nomes para guardar e acompanhar.

::Voltar
Sala 
 Léa Garcia
Dona de um talento ímpar e altivo, Léa Garcia brilha no teatro, na TV e no cinema.