Ano 15

Di Moretti (Ruth de Souza)

Se tivesse que destacar uma mulher, que eu posso dizer até que eu convivi com ela na realidade e na ficção, é a Ruth de Souza. 

Eu fiz um filme chamado “Filhas do Vento” (2005 - Joel Zito Araújo), eu escrevi, se passa perto de Ouro Preto, Lavras Novas. Quando o diretor chegou para mim e me trouxe o argumento, ele me disse: “olha, a gente tem que tomar muito cuidado, porque esse argumento é um pouco da vida da Ruth de Souza”. 

Meu conhecimento sobre ela era absolutamente superficial. Quando eu comecei a conviver com ela, e conhecer a história dela, este personagem, esta mulher ganhou uma dimensão, que eu, falando como escritor, nunca tinha me deparado. A luta dela para se tornar atriz, para se manter atriz, para ser a primeira atriz negra a representar o Brasil no cinema lá fora, enfim, não só me chocou como foi um grande aprendizado de relacionamento humano.

Convivendo com ela durante o processo do filme, eu pude aprender que a personagem da Ruth de Souza se confunde muito com a pessoa Ruth de Souza. Ela tem a grandeza que a personagem dela tem. Todos aqueles papéis em que ela é a heroína, se destaca, tem muito da Ruth de Souza.

Então por isso, para mim, comentando assim rapidamente, nesses últimos anos, de uma mulher que tenha se destacado, eu destacaria ela sem dúvida nenhuma. Eu aprendi muito não só da história que eu precisava contar, mas da história de uma mulher brasileira como a Ruth de Souza. 

Di Moretti é roteirista e professor de cinema.

Veja também sobre ela

::Voltar
Sala 
 Sala Dina Sfat
Atriz intensa nas telas e de personalidade forte, com falas polêmicas.