Ano 15

Bruna Lombardi

*01 de agosto de 1952 - São Paulo - SP

Cena de O príncipe, 2002, Ugo Giorgetti
Cena de O príncipe, 2002, Ugo Giorgetti
As artes cênicas brasileiras são marcadas por belas atrizes dos mais diferentes tipos. Há uma galeria de louras que permeia o imaginário brasileiro e que abriga nomes como Tônia Carrero, Maria Della Costa, Odete Lara, Vera Fischer e Maitê Proença. E entre essas beldades está a paulista Bruna Lombardi, que também se torna roteirista de cinema.

Bruna Lombardi é de linhagem cinematográfica - seu pai, o italiano Ugo Lombardi, foi artista atuante na Vera Cruz, estúdio cinematográfico paulista dos anos 1950. Na Vera Cruz, ele dirigiu, entre outros, Tônia Carrero em É proibido beijar, em 1954. Dona de uma beleza estonteante, Bruna Lombardi protagonizou comerciais ainda na infância. Estreia como atriz nos anos 70 -  sua primeira novela foi Sem lenço, sem documento, de Mário Prata, em 1977, seguida de trabalhos importantes como Aritana, (1978), de Ivani Ribeiro, e Louco amor (1983), de Gilberto Braga. Seu grande momento na telinha, porém, seria em 1985, como Diadorim na inesquecível adaptação de Walter George Durst para Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, dirigida por Walter Avancini. A atriz estreia no cinema na década de 70 em A noite dos duros, de Adriano Stuart, dando continuidade em O cangaceiro trapalhão, de Daniel Filho, em 1983.  

Além da carreira de atriz, Bruna Lombardi investe também na literatura, seu primeiro livro de poesias é No ritmo dessa festa, e arrebatou Mário Quintana, admirador confesso da artista. Outra vertente pela qual circulou foi o jornalismo e nos anos 90 comandou o talk show Gente de expressão.  Bruna Lombardi fica longo tempo longe das telas do cinema nacional – e nesse período investe em formação cinematográfica nos Estados Unidos junto com o marido, e também ator, Carlos Alberto Ricelli, para quem produz e roteiriza uma produção americana, Stress, orgasms and salvation. A atriz volta às telas do cinema brasileiro nos anos 2000, nos marcantes filmes O princípe, de Ugo Giorgetti; e Brasília 18%, de Nelson Pereira dos Santos. Atualmente, Bruna Lombardi se dedica cada vez mais à parceria com Ricelli, roteirizando e protagonizando filmes dirigidos por ele: o drama O signo da cidade; e a comédia Onde está a felicidade? 


Filmografia

A noite dos duros, 1978, Adriano Stuart
O cangaceiro trapalhão, 1983, Daniel Filho
O príncipe, 2002, Ugo Giorgetti
Brasília 18%, 2006, Nelson Pereira dos Santos
O signo da cidade, 2007, Carlos Alberto Ricelli
Onde está a felicidade?, 2011, Carlos Alberto Ricelli

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.
Sala 
 Carmen Santos
Pioneira no cinema: atriz, cineasta, produtora, roteirista e dona de estúdio.