Ano 15

Carmen Santos

*08 de junho de 1904, +24 de setembro de 1952 - Vila Flor - Portugal


A mais importante presença feminina no cinema brasileiro nos anos 20 e 30, Carmen Santos foi uma das incansáveis batalhadoras do nosso cinema, onde atuou como atriz, produtora, diretora e roteirista.   

Carmen Santos foi uma pioneira. Depois de sua estreia como atriz em 1919, ela inaugura uma das mais importantes trajetórias de mulheres no cinema brasileiro, desempenhando nos anos seguintes inúmeras funções, como produtora roteirista e diretora.

Entre seus feitos, o mais notável foi a fundação, em 1933, com o suporte financeiro do marido - um rico empresário, da Brasil Vox Film - rebatizada em 1935 por Brasil Vita Filme, responsável por clássicos do cinema brasileiro, como Argila, em 1942, último filme do genial cineasta Humberto Mauro.

Como a outra Carmen famosa do nosso cinema, Carmen Santos também nasceu em Portugal, no dia 8 de junho de 1904, em Vila Flor – Distrito de Bragança, vindo para o Brasil com oito anos de idade. Sua estreia no cinema se dá em Urutau, ou Eterna história, dirigido pelo americano Willian Jansen, em 1919. Mas é só 10 anos após que Carmen Santos começa a ajudar a escrever a história do cinema brasileiro ao atuar em Sangue mineiro, de Humberto Mauro. 

Sua associação com um dos mais geniais cineastas brasileiros resulta ainda em clássicos como Favela dos meus amores, Cidade-mulher e o citado Argila - ela produzindo e interpretando, e ele dirigindo.

Carmen Santos levava para a tela a mesma determinação e garra com que defendia o cinema nacional. Seu maior sonho e projeto mais ambicioso foi adaptar a inconfidência para a tela do cinema, filme Inconfidência mineira, que ela produziu, escreveu, dirigiu e interpretou - o papel de Bárbara Heliodora - e que levou 10 anos entre sua realização e exibição. 

Infelizmente,  Inconfidência mineira foi um fracasso e hoje encontra-se desaparecido. 

 Carmen Santos teve morte prematura, aos 48 anos,no dia 24 de setembro de 1952. 


Filmografia

Uruatu, ou Eterna história, 1919, Willian H. Jansen – como atriz
Sangue mineiro, 1929, Humberto Mauro – como atriz
Limite, 1930, Mário Peixoto – como atriz
Onde a terra acaba, 1933, Octávio Gabus Mendes – como atriz e produtora
Favela dos meus amores, 1935, Humberto Mauro – como atriz e produtora
Cidade-mulher, 1936, Humberto Mauro – como atriz e produtora
Argila, 1942, Humberto Mauro – como atriz e produtora
O malandro e a grã-fina, 1947, Luiz de Barros - só produtora
Inconfidência mineira, 1948, Carmen Santos – como atriz, produtora, roteirista  e diretora
Inocência, 1949, Luiz de Barros e Fernando de Barros -  como produtora
O rei do samba, 1952, Luiz de Barros – como produtora

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.