Ano 15

Christiane Torloni

*18 de fevereiro de 1957 - São Paulo - SP

Cena de Perfume de gardênia, 1992, Guilherme de Almeida Prado
Cena de Perfume de gardênia, 1992, Guilherme de Almeida Prado
Como no Brasil a televisão é indústria e o teatro e o cinema resistências, não são muitas as atrizes que conseguem transitar, quantativa e qualitativamente, pelos três veículos. Dona de personalidade forte e presença arrebatadora, a bela Christiane Torloni vem construindo uma carreira significativa nas três searas desde a década de 1970.

Os anos 70 revelaram para as artes cênicas brasileiras a beleza e o talento de Christiane Torloni. Filha da veterana atriz Monah Delacy, começa a carreira pelo teatro, no qual inicia seus estudos com o saudoso Jaime Barcellos. Na TV participa de inúmeras novelas e minisséries, sempre com papel de destaque ou como protagonista - Kananga de japão, Selva de pedra, A gata comeu e A viagem são alguns destaques. Christiane Torloni estreia no cinema na década de 1970: em algumas fontes em Encarnação, de Rose Lacreta, em 1976; em outras em 1979 no filme O bom burguês, de Oswaldo Caldeira. Nos anos 80, intensifica seu trabalho nas três mídias - é um dos nomes de ponta do teatro - e marca presença constante nas telas, emendando um filme atrás do outro.

Em uma carreira de vários filmes, Christiane Torloni atuou sob a direção de nomes importantes como Walter Hugo Khouri, Bruno Barreto, Ana Carolina, Neville D´Almeida, Ivan Cardoso, Guilherme de Almeida Prado e Nelson Pereira dos Santos. Tem bons momentos em Besame mucho, e também como Vera em Rio babilônia, Maria em Aguenta coração, Selminha em O beijo no asfalto,  Beatriz em Eu, e Adalgisa em Perfume de gardênia.


Filmografia

O bom burguês, 1979, Oswaldo Caldeira
Ariella, 1980, John Herbert
Eros, o Deus do amor, 1981, Walter Hugo Khouri
O beijo no asfalto, 1981, Bruno Barreto
Das tripas coração, 1982, Ana Carolina
Rio babilônia, 1982, Neville D´Almeida
Águia na cabeça, 1984, Paulo Thiago
Agüenta coração, 1984, Reginaldo Farias
O escorpião escarlate, 1986, Ivan Cardoso
Eu, 1987, Walter Hugo Khouri
Besame mucho, 1987, Francisco Ramalho Jr.
Perfume de gardênia, 1992, Guilherme de Almeida Prado
Cinema de lágrimas, 1995, Nelson Pereira dos Santos
Ismael e adalgisa, 2001, Malu de Martino
Onde andará dulce veiga?, 2008, Guilherme de Almeida Prado
Chico xavier, 2010, Daniel Filho
Open road, 2012, Márcio Garcia

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.