Ano 15

Debora Duboc

*04 de maio de 1965 - Ribeirão Preto - SP

Cena de Cabra-cega, 2005, Toni Venturi
Cena de Cabra-cega, 2005, Toni Venturi
O cinema brasileiro dos anos 2000 vem confirmando sua trajetória de revelar  na tela grandes talentos vindo do teatro.  Como a paulista Débora Duboc, musa do cinema de Toni Venturi, com quem é casada. 

Nascida em Ribeirão Preto, São Paulo, Débora Duboc é formada em artes cênicas pela Unicamp. A atriz começou sua carreira artística pelo teatro, passou pelas mãos do grande diretor Celso Nunes, e ganhou prêmios como o da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte por Senhorita else, direção de Marco Aurélio. Com trajetória importante nos palcos paulistas - outro trabalho premiado foi o espetáculo  O homem das galochas, Débora Duboc levou seu talento também para as telas do cinema nacional. Casada com o diretor Toni Venturi, a atriz protagonizou o primeiro longa de ficção do cineasta, o interessante Latitude zero, em 2000 – antes, Venturi dirigiu o documentário Velho – a história de Luiz Carlos Prestes. O filme lhe valeu os prêmios de Melhor Atriz nos Festivais de Miami e Kiev. Nesse mesmo ano, atua em Através da janela, belo filme dirigido por Tata Amaral. 

Depois de marcar presença na adaptação cinematográfica do clássico texto de Machado de Assis dirigida por André Klotzel, Memórias póstumas, em 2001, Débora Duboc volta a protagonizar outro filme de Toni Venturi, o não menos premiado Cabra-cega. Atração maior do filme, que conta ainda com boas atuações de Leonardo Medeiros e Jonas Bloch, Débora Duboc é Rosa, a doce militante que, durante a Ditadura Militar, cumpre a função de ser a ponte entre um clandestino confinado em um apartamento e o mundo exterior. Sua composição, bem diferente da ótima perfomance como Lena em Latitude zero, é arrebatadora. Cabra-cega recebeu vários prêmios no 37o Festival de Brasília, entre eles, Melhor Filme, Diretor e Ator. Depois, entre outros, atua em mais um filme de Venturi, Estamos juntos (2011). Débora Duboc vem marcando presença também no formato curta-metragem: Fim de caso (1999), Onde quer que você esteja (2003) e Imensidade (2003). 



Filmografia

Fim de caso, 1999, curta, Paulo Ferreira
Latitude zero, 2000, Toni Venturi
Através da janela, 2000, Tata Amaral
Memórias póstumas, 2001, André Klotzel
Onde quer que você esteja, 2003, curta, Bel Bechara e Sandro Serpa
Imensidade, 2003, curta, Amílcar Monteiro Claro
Cabra-cega, 2005, Toni Venturi.
Filmefobia, 2008, Kiko Goifman
Bom dia eternidade, 2010, Rogério de Moura
Estamos Juntos, 2011, Toni Venturi

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.