Ano 15

Dira Paes

*30 de junho de 1969 - Abaetuba - PA

Cena de Corisco e dadá, 1996, Rosemberg Cariry
Cena de Corisco e dadá, 1996, Rosemberg Cariry
De tempos em tempos o cinema nacional vai renovando seu elenco, e novas e expressivas atrizes vão ocupando seus espaços, como numa tradição. Assim foi com a talentosíssima e bela Dira Paes nos anos 1980. E nem parece que lá se vão décadas de seu enorme talento nas telas.

Nos anos 1980, a vida de Dira Paes mudou completamente ao participar, ainda nos tempos de colégio e aos 14 anos, do teste para o filme Floresta das esmeraldas - dirigido pelo americano John Boorman em 1985 e rodado na Amazônia. Com seu porte moreno e com traços indígenas, Dira venceu a seleção e carimbou definitivamente seu passaporte para o cinema brasileiro. Seu filme seguinte, o sensível Ele, o boto, de Walter Lima Jr, deu credibilidade para a nova atriz que passaria então a ser uma das melhores presenças nos filmes brasileiros a partir daí..

Dira Paes faz trabalhos no teatro e na televisão, mas é nas telas que encontra seu melhor espaço, nesse veículo que tem a preferência da atriz. Na década de 90 esteve à frente de dois importantes filmes, Corisco e dadá, de Rosemberg Cariry e Anahy de las missiones, de Sérgio Silva. Entra os anos 2000 atuando sob a direção do polêmico Sérgio Bianchi, no não menos explosivoCronicamente inviável. Destaque em Amarelo manga e Baixio das bestas, de Cláudio Assis, Dirá Paes foi premiada no Festival de Gramado por Noite de são joão, de Sérgio Silva. De lá para cá foram inúmeras produções, desde o grande sucesso 2 filhos de francisco, de Breno Silveira, até o independente Incuráveis, de Gustavo Acioli.


Filmografia

A floresta das esmeraldas, 1985, John Boorman
Ele, o boto, 1987, Walter Lima Jr
Corpo em delito, 1990, Nuno César de Abreu
Corisco e dada, 1996, Rosemberg Cariry
Anahy de las missiones, 1997, Sérgio Silva
Lendas amazônicas, 1998, Ronaldo Passarinho e Moisés Magalhães
Castro Alves – retrato falado do poeta, 1999, Sílvio Tendler
Cronicamente inviável, 2000, Sérgio Bianchi
A vida e obra de ramiro miguez, 2000, Alvarina Souza e Silva
O casamento de louise, 2001, Betse de Paula
Lua cambará – nas escadarias do palácio, 2003, Rosemberg Cariry
Amarelo manga, 2002, Cláudio Assis
Noite de são joão, 2003, Sérgio Silva
Celeste e estrela, 2003, Betse de Paula
Meu tio matou um cara, 2004, Jorge Furtado
2 filhos de francisco - a história de zezé di camargo & luciano, 2005, Breno Silveira
Incuráveis, 2005, Gustavo Acioli
Mulheres do Brasil, 2005, Malu de Martino
Baixio das bestas, 2006, Cláudio Assis
A grande família - o filme, 2007, Maurício Farias
Ó pai ó, 2007, Monique Gardenberg
A festa da menina morta, 2008, Matheus Nachtergaele
Esse homem vai morrer - um faroeste caboclo, 2008, Emílio Gallo
Ribeirinhos do asfalto, 2010, curta, Jorane Castro
Matinta, 2010, curta, Fernando Segtowick
Estamos juntos, 2011, Toni Venturi
Sudoeste, 2012, Eduardo Nunes
E aí, comeu?, 2012, Felipe Joffily
A beira do caminho, 2012, Breno Silveira


Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.