Ano 15

Drica Moraes

*29 de julho de 1969 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Traição, 1998, José Henrique Fonseca
Cena de Traição, 1998, José Henrique Fonseca
Com ótimas interpretações tanto na comédia quanto no drama, Drica Moraes é uma das mais gratas revelações do cinema dos anos 1990. Com carreira importante no teatro, ela vem desenvolvendo uma trajetória notável também na televisão. 

Drica Morais começou a carreira pelo teatro, tem aulas como Miguel Falabella na escola e depois passa pelo Tablado de Maria Clara Machado. Desenvolve carreira importante nos palcos, com trabalhos expressivos na Cia dos Atores, um dos grupos de destaque no país. Na televisão sua primeira novela é  Top model, em 1989, mas é em 1996 que tem um papel do tamanho de seu talento, a terrível Dona Violante Cabral em Xica da silva. Drica Morais vem atuando em alguns dos mais interessantes trabalhos na TV, como as séries Os normais, A grande família  e Os aspones, como uma dos protagonistas. No cinema, seu primeiro trabalho é no curta Vaidade, dirigido por Vicente Amorim e David França Mendes, em 1990. Depois, atua na produção americana, Manôushe, de Luiz Begazo. 

Ainda nos anos 90, Drica Morais marca presença em três filmes: As meninas, adaptação cinematográfica do clássico romance de Lygia Fagundes Telles dirigida por Emiliano Ribeiro; Mandarin, belo filme de Júlio Bressane; e Traição, da produtora Conspiração Filmes, dirigido por José Henrique Fonseca, Arthur Fontes e Cláudio Torres - ela atua no episódio Cachorro, de Fonseca.  Drica Morais dá continuidade à carreira cinematográfica nos anos 2000 atuando em filmes de cineastas destacados como Bruno Barreto, Sandra Werneck e Sérgio Rezende.
 

Filmografia

Vaidade, 1990, curta,Vicente Amorim e David França Mendes
As meninas, 1995, Emiliano Ribeiro
O mandarim, 1995, Júlio Bressane
Traição, episódio Cachorro, 1998, José Henrique Fonseca
Bossa nova, 2000, Bruno Barreto
Amores possíveis, 2001, Sandra Werneck
Onde anda você?, 2004, Sérgio Rezende
Os normais 2 - a noite mais maluca de todas, 2009, José Alvarenga Jr
O bem amado, 2010, Guel Arraes

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.