Ano 15

Eloísa Mafalda

*18 de setembro de 1924 - Jundiaí - SP

Cena de O ibraim do subúrbio, 1976, Cecil Thiré
Cena de O ibraim do subúrbio, 1976, Cecil Thiré
Uma das atrizes mais populares da televisão, Eloísa Mafalda fez poucos filmes até hoje. Ainda assim, através deles, temos a oportunidade de ver registrado todo o talento dessa grande atriz.  

Em depoimento ao Museu da Televisão Brasileira, Eloísa Mafalda diz que não queria ser atriz e que tudo aconteceu por acaso. Levada pelo irmão, que era locutor nas rádios Tupi e Difusora, Eloísa Mafalda fez um teste, passou, e acabou estreando como rádio-atriz na Tupi. Depois de passar pela Rádio Nacional, estreia na TV Paulista e segue carreira contínua nas telas da TV. Da década de 1960, época de O ébrio (1965) e A grande mentira (1969) até os dias atuais, Eloísa Mafalda já atuou em cerca de 40 produções, entre novelas, minisséries e seriados. São vários os grandes momentos da atriz na telinha, como Dona Nenê do seriado A grande família (1965) – atualmente interpretada por Marieta Severo; e nas novelas Gabriela (1975), como Maria Machadão; Água viva (1980), como Irene; e Roque Santeiro, como Pombinha Abelha. No cinema, estreia fazendo uma ponta em Somos dois, de Milton Rodrigues, e em 1973 atua em Os mansos, em episódio dirigido por Braz Chediak.   

Eloísa Mafalda atuou em poucos filmes, sendo mais dois na década de 70 e dois na década de 90. Destaques de sua filmografia são o ótimo episódio O ibraim do subúrbio, dirigido por Cecil Thiré, em que contracena com o saudoso José Lewgoy, e o delicioso Beijo 2348/72, de Walter Rogério.  

Filmografia

Somos dois, 1950, Milton Rodrigues
Os mansos, episódio O home dos quatro chifres, 1973, Braz Chediak
Mau caráter, 1974, Jece Valadão
O ibraim do subúrbio, episódio homônimo, 1976, Cecil Thiré
Beijo 2348/72, 1990, Walter Rogério
Simão, o fantasma trapalhão, 1998, Paulo Aragão
Obrigada!, 2010, curta, Giancarlo Di Tommaso

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.