Ano 15

Etty Fraser

*08 de maio de 1931 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Em cada um coração um punhal, 1970, Sebastião de Souza
Cena de Em cada um coração um punhal, 1970, Sebastião de Souza
Com o advento da Aids, muitos atores se engajaram na causa, alertando para a prevenção e lutando contra a discriminação. Assim como Sandra Bréa apareceu na TV dando depoimentos, outra atriz que faz do seu trabalho uma verdadeira peregrinação para angariar fundos para os artistas que contraíram o vírus é a adorável Etty Fraser

Etty Fraser começou no teatro, e é nesse veículo que transita com mais freqüência durante sua carreira. Casada com o ator Chico Martins, recebe durante sua trajetória alguns dos mais importantes prêmios, como o Saci, o Moliére e o Governador do Estado. Leva seu talento para a televisão, na qual participa de várias novelas, e também para o cinema. A atriz é presença constante nas telas durante as décadas de 1960 e 70, atuando em filmes como O mundo alegre de helô; o marginal Em cada coração um punhal; a comédia erótica Macho e fêmea e o anárquico Efigênia dá tudo o que tem. Na década de 80, participa do essencial O homem do pau Brasil, de Joaquim Pedro de Andrade.

Nos anos 90 era comum ver Etty Fraser nos teatros vendendo um broche com as máscaras da tragédia e da comédia. O objetivo: angariar fundos para os artistas soropositivos, atendidos pela Associação Fundo de Assistência à Classe Teatral, fundada em 1994, e da qual é presidente. Depois de longo tempo afastada da carreira de atriz de novelas – apresentou programa de culinária na TV – Etty Fraser voltou em Torre de babel, de Sílvio de Abreu - e arrasou no cinema em Durval discos


Filmografia

São paulo s.a, 1965, Luís Sérgio Person
O mundo alegre de helô, 1967, Carlos Alberto de Souza Barros
O agente da lei, 1969, Ary Fernandes
Em cada coração um punhal, episódio Transplante de mãe, 1970, Sebastião de Souza
Paulicéia fantástica, 1970, João Batista de Andrade e Jean-Claude Bernadet
Diabólicos herdeiros, 1971, Geraldo Vietri
O supermanso, 1974, Ary Fernandes
Macho e fêmea, 1974, Ody Fraga
Efigênia dá tudo o que tem, 1975, Olivier Peroy
Senhora, 1976, Geraldo Vietri
O homem do pau Brasil, 1982, Joaquim Pedro de Andrade
Dora doralina, 1982, Perry Salles
As três mães, 1992, curta, Roberto Maya
A origem dos bebês segundo kiki cavalcanti, 1995, curta, Anna Muylaert
Durval discos, 2002, Anna Muylaert
Por um fio, 2003, vídeo, João Batista de Andrade
Cristina quer casar, 2003, Luiz Villaça   
Tampinha, 2006, curta, João Batista Melo
Sete vidas, 2007, curta, Zé Mucinho e Marcelo Spomberg
É proibido fumar, 2009, Anna Muylaert
O filme dos espíritos, 2011, Michel Dubret e André Marouço

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.