Ano 15

Fernanda Torres

*15 de setembro de 1965 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de A marvada carne, 1985, André Klotzel
Cena de A marvada carne, 1985, André Klotzel
O ditado que diz que `filho de peixe, peixinho é` cabe como uma luva para o talento de Fernanda Torres. Filha dos consagrados Fernando Torres e Fernanda Montenegro, Fernanda Torres conquistou seu espaço, tanto no teatro como na televisão, e de forma especial, também no cinema, onde, inclusive, já foi premiada no Festival de Cannes.

Seguindo os passos dos pais, Fernanda Torres debutou no teatro - ainda adolescente integrou-se ao Tablado de Maria Clara Machado. Em 1981 faz sua primeira novela na Globo, veiculo onde continuará desenvolvendo carreira, mas privilegiando produções especiais como seriados e minisséries, com destaque para o humor. Em 1983 conquista o público cinéfilo pela composição delicada no belo filme Inocência, de Walter Lima Jr. Daí para frente não abandona mais as telas de cinema, com trabalhos importantes, de diretores fundamentais no cinema brasileiro.

Na década de 80, a Revista Veja, - ou seria  a Isto É? - chamou Fernanda Torres de `Garota das Telas´, pela impressionante presença, ao mesmo tempo, em quatro filmes expressivos e interpretando personagens diversos: A marvada carneEu sei que vou te amarCom licença eu vou à luta, e Sonho sem fim. Dirigido por André Klotzel, A marvada carne é o grande momento de Fernanda Torres no cinema nacional como a caipira Carula. Já Eu sei que vou te amar, de Arnaldo Arnaldo Jabor, deu-lhe o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes – que ela dividiu com a alemã Barbara Sukova (por Rosa de luxemburgo, de Margarete Vom Trotta). Fernanda Torres é também presença luminosa em dois filmes de Walter Salles e Daniela Thomas,Terra estrangeira e O primeiro dia.


Filmografia

Inocência, 1983, Walter Lima Jr.
Amenic - entre o discurso e a prática, 1984, Fernando Silva
A marvada carne, 1985, André Klotzel
Sonho sem fim, 1985, Lauro Escorel
Madame cartô, voz, 1985, curta, Nelson Nadotti
Eu sei que vou te amar, 1986, Arnaldo Jabor
Com licença eu vou à luta, 1986, Lui Farias
Fogo e paixão, 1988, Marcio Kogan e Isay Weinfeld
A mulher do próximo, 1988, José Fonseca e Costa
Kuarup, 1989, Ruy Guerra
Beijo 2348/72, 1990, Walter Rogério
Capitalismo selvagem, 1993, André Klotzel
Terra estrangeira, 1996, Walter Salles e Daniela Thomas
O judeu, 1996, Jom Tob Azulay
O que é isso, companheiro, 1997, Bruno Barreto
Miramar, 1997, Júlio Bressane
O primeiro dia, 1998, Walter Salles e Daniela Thomas
Traição, 1998, Claudio Torres, José Henrique Fonseca e Arthur Fontes
Gêmeas, 1999, Andrucha Waddington
Os normais, 2003, José Alvarenga Jr. 
Redentor, 2004, Claudio Torres
Casa de areia, 2005, Andrucha Waddington
O caso morel, 2006, Sheila Feital
Saneamento básico, o filme, 2007, Jorge Furtado
A mulher invisível, 2009, Claudio Torres
Os normais 2 - a noite mais maluca de todas, 2009, José Alvarenga Jr.

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.