Ano 15

Glória Menezes

*19 de outubro de 1934 - Pelotas - RS

Cena de O pagador de promessas, 1962, Anselmo Duarte
Cena de O pagador de promessas, 1962, Anselmo Duarte
Glória Menezes é um dos maiores mitos da telenovela brasileira. No entanto, sua retumbante estreia foi no cinema em 1962, onde se consagrou como Rosa, a mulher do Zé do Burro, em O pagador de promessas, de Anselmo Duarte. O filme foi o vencedor do  prêmio mais importante do cinema internacional, a Palma de Ouro do Festival de Cannes.

Na época, a atriz foi contratada pela TV Excelsior para protagonizar a primeira novela diária brasileira, 25499, ocupado, que a transformou em estrela no veículo onde mais trabalhou a partir de então - Irmãos coragem, Pai herói, Corpo a corpo e A rainha da sucata são alguns de seus sucessos na telinha. Glória Menezes tem um tipo físico e uma persona artística que a torna perfeita para papéis populares e de identificação imediata com o público. Casada com o ator Tarcísio Meira desde aquela época, os dois formam um dos casais mais famosos das artes cênicas. A atriz tem uma carreira importante também no teatro.

Numa carreira de poucos, mas marcantes filmes, Glória Menezes ficou quase duas décadas sem participar de outro trabalho no cinema, voltando às telas em Se eu fosse você (2004), de Daniel Filho. A atriz inscreveu em importância seu nome na história do cinema nacional através de O pagador de promessas, e foi dirigida por outros cineastas como Roberto Pires no policial A máscara da traição, Osvaldo de Oliveira e Miguel Faria Jr. Carlos Coimbra, que já havia dirigido a atriz em Lampião, o rei do cangaço, voltou a trabalhar com ela no em Independência ou morte, em 1972. E com Anselmo Duarte repetiu a dobradinha no interessante O descarte.


Filmografia

O pagador de promessas, 1962, Anselmo Duarte
Lampião, o rei do cangaço, 1964, Carlos Coimbra
A máscara da traição, 1969, de Roberto Pires
O impossível acontece, episódio Eu, ela e o outro,1969, Daniel Filho
O descarte, 1973, Anselmo Duarte
Independência ou morte, 1972, Carlos Coimbra
O caçador de esmeraldas, 1979, Osvaldo de Oliveira
Para viver um grande amor, 1984, Miguel Faria Jr.
Se eu fosse você, 2005, Daniel Filho


::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.