Ano 15

Iracema de Alencar

*19 de abril de 1900, +07 de março de 1978 - Triunfo - RS

cena de Em Família, 1970, Paulo Porto
cena de Em Família, 1970, Paulo Porto
Iracema de Alencar é uma atriz veterana do rádio e do teatro. Seu talento foi registrado também no cinema, com a estreia ainda na fase muda e o retorno às telas nos anos 1950.

A gaúcha Ida Herminia Kerber adotou o nome artístico de Iracema de Alencar ao ser escalada para o filme mudo de Vittorio Capellaro, Iracema, em 1917. Antes disso, porém, a atriz sempre foi apaixonada pelo mundo artístico, daí as encenações teatrais ainda em época de escola. E é no teatro que Iracema de Alencar vai construir grande parte de sua carreira, atuando em companhias de Itália Fausta, Leopoldo Fróes e Jaime Costa. Na televisão, Iracema de Alencar vai atuar também em novelas, como a primeira versão de A moreninha, em 1965, protagonizada por Marília Pêra. A atriz vai retornar ao cinema nos anos 1950, época em que inicia sua parceria com o cineasta J.B. Tanko, atuando em quatro filmes do diretor – Garota enxuta (1959); Rua descalça (1971); Som, amor e curtição (1972) e Salve-se quem puder (1973).

Nos anos 1960, Iracema de Alencar atua em dois filmes importantes do Cinema Novo – Garota de ipanema (1967), de Leon Hirszman, e Brasil, ano 2000 (1970), de Walter Lima Jr. Seu grande momento no cinema brasileiro se dá em 1970 no filme Em família, de Paulo Porto, como dona Lu, em que faz inesquecível parceria com Rodolfo Arena.


Filmografia

Iracema, 1917, Vittorio Capellaro
Toda a vida em quinze minutos, 1953, Pereira Dias
Garota enxuta, 1959, J.B.Tanko
Garota de ipanema, 1967, Leon Hirszman
Brasil, ano 2000, 1969, Walter Lima Jr.
Em família, 1970, Paulo Porto
Rua descalça, 1971, J.B.Tanko
O supercareta, 1972, Ronaldo Lupo
Som, amor e curtição, 1972, J.B. Tanko
O pica-pau amarelo, 1973, Geraldo Sarno
Salve-se quem puder, 1973, J.B. Tanko

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.