Ano 15

Kate Lyra

*03 de julho de 1949 - Arizona - Estados Unidos

Cena de Convite ao prazer, 1980, Walter Hugo Khouri
Cena de Convite ao prazer, 1980, Walter Hugo Khouri
“Brasileiro é tão bonzinho”. Foi com esse bordão, dito em tom transbordando de sensualidade, que a americana radicada no Brasil, Kate Lyra, esquentou a libido de muita gente. Mas muito mais que isso, Kate Lyra levou seu talento para a música, para a televisão e, claro, para o cinema – onde se tornou uma das musas de Walter Hugo Khouri.

Nascida nos Estados Unidos, Kate Lyra se casou no final dos anos 1960 com o compositor Carlos Lyra, um dos fundadores da Bossa Nova. Radicada no Brasil desde os anos 70, Kate Lyra atuou em programas humorísticos como Planeta dos homens, na Globo, e Praça da alegria, no SBT. E é na década de 1970 que Kate Lyra vai iniciar sua trajetória de atriz no cinema brasileiro, atuando em filmes como Um edifício chamado 200, de Carlos Imperial, e Banana mecânica, de Braz Chediak.

Mas foi na década de 1980 que Kate Lyra vai se encontrar com o cineasta que vai utilizar melhor sua persona cinematográfica: o mestre Walter Hugo Khouri. Kate Lyra vai atuar em três filmes do cineasta, todos eles clássicos: O prisioneiro do sexo (1978), Convite ao prazer (1980), e Eros, o deus do amor (1981). A atriz estáve também no grande sucesso erótico Mulher objeto (1981), de Sílvio de Abreu. Além de atriz, Kate Lyra é compositora, roteirista – co-roteirizou A causa secreta, de Sérgio Bianchi – 1994), e pesquisadora de música – participou do documentário Sou feia, mas tô na moda (2005), de Denise Garcia.


Filmografia

Um edifício chamado 200, 1973, Carlos Imperial
Banana mecânica, 1974, Braz Chediak
O signo do escorpião, 1974, Carlos Coimbra
A extorsão, 1975, Flávio Tambellini
O prisioneiro do sexo, 1978, Walter Hugo Khouri
Uma fêmea do outro mundo, 1979, J. Figueira Gama
Nos tempos da vaselina, 1979, José Miziara
Convite ao prazer, 1980, Walter Hugo Khouri
Mulher objeto, 1981, Sílvio de Abreu
Eros, o deus do amor, 1981, Walter Hugo Khouri
A causa secreta, 1994, Sérgio Bianchi - co-roteirista
Bossa nova, 2000, Bruno Barreto
My father, rua alguem 5555, 2003, Egidio Eronico
Sou feia, mas tô na moda, 2005, Denise Garcia
Os penetras, 2012, Andrucha Waddington


Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.
Sala 
 Carmen Santos
Pioneira no cinema: atriz, cineasta, produtora, roteirista e dona de estúdio.