Ano 15

Lelita Rosa

*19 de julho de 1908 - São Paulo - SP

Cena de Barro humano, 1927/29, Adhemar Gonzaga
Cena de Barro humano, 1927/29, Adhemar Gonzaga
A trajetória do cinema nacional é marcada por atrizes que causaram polêmicas, dentro ou fora das telas, como Leila Diniz, Odete Lara, Norma Bengell, entre outras. Felizmente, essa característica está presente em nosso cinema desde o início. E nos anos 1920 e 30, Lelita Rosa foi uma dessas nossas estrelas de talento e personalidade forte

Disposta a ser atriz, sonho que acalenta desde criança, Lelita Rosa leva finalmente sua beleza exótica para as telas do cinema e causa polêmica. Segundo o Dicionário Astros e Estrelas do Cinema Brasileiro, de Antonio Leão, seu primeiro filme é Flor do sertão, em 1925. Já a Enciclopédia do Cinema Brasileiro cita Vício e beleza, em 1926, de Antonio Tibiriça. Esse último causa polêmica na época e tem problemas com a censura pelo tema, as conseqüências do uso de drogas, e, sobretudo, pela forte sensualidade na composição da atriz e da própria realização – o filme é citado pela Enciclopédia como um dos filmes eróticos dos anos 20 em São Paulo, apresentados como ´filmes científicos´. Lelita Rosa volta a impactar em Barro humano, do mestre Adhemar Gonzaga, em personagem que alia sensualidade e inocência. E torna-se uma das musas da Cinédia, primeiro estúdio de grande porte no Brasil, fundado por Gonzaga em 1930.

Lelita Rosa atua no clássico Brasa dormida, de Humberto Mauro, e em 1930 participa de mais um filme do cineasta mineiro, dessa vez como protagonista em Lábios sem beijos. Em todos os seus filmes, a atriz imprimiu sua personalidade forte para compor seus personagens, e se despediu do cinema nacional fazendo uma participação em Alô alô carnaval.

 
Filmografia

Flor do sertão, 1925
Vício e beleza, 1926, Antonio Tibiriça
Barro humano, 1927/29, Adhemar Gonzaga
Brasa dormida, 1928, Humberto Mauro
Lábios sem beijos, 1930, Humberto Mauro
Alô alô carnaval, 1935, Adhemar Gonzaga

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.