Ano 15

Lola Lys

*28 de janeiro de 1900, +10 de setembro de 1988 - *Vila de São Manoel - MG

Cena de Thesouro perdido, 1927, Humberto Mauro
Cena de Thesouro perdido, 1927, Humberto Mauro
Que o cinema nacional, desde o seu nascimento até os dias de hoje é marcado por Ciclos, todo mundo já sabe. E que o Ciclo de Cataguases nos anos 1920 em Minas Gerais foi um dos momentos mais importantes do nosso cinema também é notório. Foi lá que se revelou o gênio de Humberto Mauro, para muitos, o pai do cinema brasileiro e ídolo-mor da turma do Cinema Novo que chacoalhou as telas nos anos 60. E foi lá em Cataguases que a bela Maria Vilela de Almeida casou-se com o mestre e virou Lola Lys, estrela de seu filme Thesouro perdido, em 1927.

Lola Lys, nome artístico de Maria Vilela, conhecida como Bebê, foi a grande companheira de Humberto Mauro durante toda a sua vida, a partir do casamento em 1920.  Depois de Mauro rodar seu primeiro longa-metragem, Na primavera da vida, estrelado pela musa Eva Nil, a atriz se afasta da nova produção. Sem um nome para estrelar Thesouro perdido, o diretor acaba escalando sua própria esposa para ser a protagonista, surgindo aí Lola Lys.

Thesouro perdido é um sucesso, recebe o Medalhão Cinearte de Melhor Filme de 1927, passaporte para sua futura parceria com o jornalista, diretor e produtor Adhemar Gonzaga. O filme, uma aventura com direito a mocinha, herói e bandidos, é basicamente composto pela família: Humberto é o vilão; seu irmão Chiquinho é o herói; e Lola Lys é a mocinha Susana. Thesouro perdido foi o único filme da atriz, que faleceu em 10 de setembro de 1988, em Volta Redonda, Rio de Janeiro.


Filmografia

Thesouro perdido, 1927, Humberto Mauro

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.