Ano 15

Luiza Barreto Leite

*01 de outubro de 1909, +01 de dezembro de 1996 - *Santa Maria - RS

Cena de Falta alguém no manicômio, 1948, José Carlos Burle
Cena de Falta alguém no manicômio, 1948, José Carlos Burle
Com carreira importante no teatro, a gaúcha Luiza Barreto Leite levou sua arte também para o cinema, atuando em mais de uma dezena de filmes nas décadas de 1940 e 50.  

Nascida em Santa Maria, Rio Grande do Sul, Luiza Barreto Leite é uma grande Dama do Tatro e faz parte de uma importante família das artes cênicas – é irmã da atriz Maria Barreto Leite e tia da também atriz e cantora Mariana de Moraes. Luíza Barreto Leite tem grandiosa carreira nos palcos - foi uma das fundadoras do histórico grupo “Os Comediantes”. Fez carreira também no rádio, no qual foi diretora de radioteatro da Rádio Mec. Luíza Barreto Leite estreia no cinema em 1946, atuando em dois filmes de Moacyr Fenelon, Sob a luz de meu bairro e Fantasmas por acaso.  E é na década de 40 que vai marcar presença continua nas telas do cinema, com filmes importantes no currículo e dirigidos por grandes mestres como José Carlos Burle e Fernando de Barros. Com Burle, atua em Luz dos meus olhos e Falta alguém no manicômio; já com Barros, atua em Caminhos do sul. Outro filme importante em que participa, apesar do fracasso na época, é Inconfidência mineira, o projeto da vida da atriz, produtora e diretora Carmen Santos.  

Luiza Barreto Leite transita por diferentes estúdios, como a Brasil Vita Filmes de Carmen Santos, a Cinédia, no qual atua em Mãe, de Teófillo de Barros Filho, e na Atlântida, onde rodou a maior parte de seus filmes. Na Atlântida foi dirigida por Moacyr Fenelon, Edmond, Watson Macedo  e J. B. Tanko.  


Filmografia

Sob a luz do meu bairro, 1946, Moacyr Fenelon
Fantasma por acaso, 1946, Moacyr Fenelon
Luz dos meus olhos, 1947, José Carlos Burle
Terra violenta, 1948, Edmond F. Bernoudy
Inconfidência mineira, 1948, Carmen Santos
Falta alguém no manicômio, 1948, José Carlos Burle
Mãe, 1948, Teófilo de Barros Filho
Caminhos do sul, 1949, Fernando de Barros
Aí vem o barão, 1951, Watson Macedo
Areias ardentes, 1952, J. B. Tanko
Sinfonia carioca, 1955, Watson Macedo
Insônia, episódio Dois dedos, 1982, Emmanuel Cavalcanti

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.