Ano 15

Maria Cláudia

*09 de outubro de 1949 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de O flagrante, 1975, Reginaldo Faria
Cena de O flagrante, 1975, Reginaldo Faria
Durante a carreira artística, algumas atrizes sofrem revezes que interrompem carreiras consolidadas ou promissoras. E por motivos os mais diversos: algumas são vítimas de acidentes fatais, como Leila Diniz, Adriana Prieto e Anecy Rocha; outras se retiram por opção, como Odete Lara, que abandonou o estrelato para viver em retiro.Há ainda aquelas que interrompem ou diminuem seus trabalho por motivos diversos, como A bela Maria Cláudia, que teve problemas vocais na década de 1980.


Maria Cláudia começou a carreira artística na TV em 1969, na novela Verão vermelho, um grande sucesso de Dias Gomes na Rede Globo. Iniciava aí uma carreira de sucesso na telinha, onde a atriz computa cerca de 15 novelas, em papel de destaque ou como protagonista. Sua estreia no cinema nacional acontece em 1971, interpretando uma doce mendiga em Bonga, o vagabundo, dirigido por Victor de Lima, e um dos melhores filmes de Renato Aragão antes de incorporar o personagem Didi de Os Trapalhões. No ano seguinte, Maria Cláudia atuou em Independência ou morte, de Carlos Coimbra. A atriz, que desenvolve carreira também no teatro, marca presença constante no cinema na década de 70, atuando em filmes de Reginaldo Faria, Carlos Alberto de Souza Barros, Hugo Carvana e Alcino Diniz.

Em 1981, Maria Cláudia é escalada por Walter Hugo Khouri, cineasta que filmou algumas de nossas mais belas atrizes para um de seus grandes filmes, Eros, o deus do amor, que reunia algumas dessas grandes musas. No entanto, nos primeiros anos da década de 80 – em 83 protagoniza a novela Pão pão, beijo beijo - Maria Cláudia tem graves problemas vocais – a voz rouca era uma de suas marcas – e retira-se da carreira artística, retornando somente após dez anos de afastamento. 


Filmografia

Bonga, o vagabundo trapalhão, 1971, Victor de Lima
Independência ou morte, 1972, Carlos Coimbra
O flagrante, 1975, Reginaldo Farias
Um marido contagiante, 1977, Carlos Alberto de Souza Barros
Se segura, malandro, 1978, Hugo Carvana
O coronel e o lobisomem, 1979, Alcino Diniz
Eros, o deus do amor, 1981, Walter Hugo Khouri

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.