Ano 15

Maria Flor

*31 de agosto de 1983 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Proibido proibir, 2007, Jorge Duran
Cena de Proibido proibir, 2007, Jorge Duran
A década de 2000 revelou atrizes com grande repercussão no cinema. E Maria Flor é um desses nomes.

Maria Flor fez escola de teatro antes do sucesso nas telas e na televisão. Na TV, a carreira começou em Malhação, em 1995, programa juvenil das tardes da Globo. Mas o sucesso na telinha viria mesmo em 2004 como a Tina de Cabocla, segunda versão da novela de Benedito Ruy Barbosa, adaptada pelas filhas do autor, Edmara e Edilene Barbosa. A trajetória na TV segue em crescendo, com a ótima participação em Belíssima (2006), de Sílvio de Abreu, e como co-protagonista, ao lado de Malu Mader, em Eterna magia (2007), de Elizabeth Jhin - protagoniza ainda o anárquico seriado Aline. Maria Flor estreou no cinema no interessante Diabo a quatro (2004), também estreia em longas da cineasta Alice de Andrade, filha do mestre Joaquim Pedro de Andrade. A atriz, que foi selecionada através de teste, impressionou e seu trabalho na tela a projetou como uma boa promessa cinematográfica.

Maria Flor deu seqüência à carreira cinematográfica atuando em mais dois filmes em 2004: como Juliana teve papel de destaque em Quase dois irmãos, de Lúcia Murat; e fez participação em Cazuza – o tempo não pára, de Sandra Werneck e Walter Carvalho. 2007 é mais um ano importante para a atriz no cinema. Maria Flor é uma dos protagonistas de Proibido proibir, de Jorge Duran, e atua em Podecrer!, de Arthur Fontes, e em Chega de saudade, belíssimo filme de Laís Bodanzki premiado no Festival de Brasília. Segue a carreira sendo dirigida por cineastas importantes como Guel Arraes, Arnaldo Jabor e Cao Hamburger.


Filmografia

Diabo a quatro, 2004, Alice de Andrade
Quase dois irmãos, 2004, Lúcia Murat
Cazuza – o tempo não pára, 2004, Sandra Werneck
Proibido proibir, 2007, Jorge Duran
Podecrer!, 2007, Arthur Fontes
Chega de saudade, 2007, Laís Bodanzky
Som e fúria - o filme, 2009, Fernando Meirelles e Toniko Melo
O bem amado, 2010, Guel Arraes
A suprema felicidade, 2010, Arnaldo Jabor
Tastes like chicken, 2011, curta, Quiko Teivelis Meirelles
Xingu, 2012, Cao Hamburger
Até o fim do mundo, 2013, Fábio Mendonça

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.