Ano 15

Marisa Prado

*26 de dezembro de 1930, +12 de fevereiro de 1982 - Araçatuba - SP

Cena de Candinho, 1954, Abílio Pereira de Almeida
Cena de Candinho, 1954, Abílio Pereira de Almeida
A Companhia Vera Cruz, tentativa paulista de industrialização do cinema brasileiro no final da década de 1940, ofereceu mais algumas estrelas para o panteão das telas nacionais. E a bela Marisa Prado, com certeza, foi uma delas.

Ao sair de sua Araçatuba natal, ainda na infância, para viver em São Bernardo do Campo, Marisa Prado estava carimbando seu passaporte futuro para o cinema nacional. Mais que isso, tornaria-se estrela da Vera Cruz e ficaria conhecida internacionalmente, ao co-protagonizar o sucesso mundial O cangaceiro. Marisa Prado trabalhava na Companhia Vera Cruz quando é convidada para um teste para Terra é sempre terra; ganha o papel principal – sem nunca ter atuado antes - e recebe o prêmio Saci de Melhor Atriz. Em seguida, participa de mais três filmes da produtora.

O cangaceiro proteja a atriz internacionalmente, e Marisa Prado desenvolve carreira prestigiosa no estrangeiro, em produções na Espanha, Portugal, México e Cuba. Seu último trabalho para o Brasil foi a co-produção brasileira-portuguesa, As pupilas do senhor reitor, dirigida pelo cineasta português Perdigão Queiroga, onde contracena com Anselmo Duarte.  A atriz, que passara a viver na Franca – seu segundo marido é embaixador cubano em Paris - abandona o cinema no início da década de 60. Marisa Prado morreu no Cairo, em circunstâncias ainda hoje não totalmente esclarecidas.


Filmografia

Terra é sempre terra, 1951, Tom Payne
Tico-tico no fubá, 1952, Adolfo Celi
O cangaceiro, 1953, Lima Barreto
Candinho, 1954, Abílio Pereira de Almeida
As pupilas do senhor reitor, 1961, co-produção Brasil/Portugal, Perdigão Queiroga

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.