Ano 15

Mii Saki (Misaki Tanaka)

*1956 - Tóquio - Japão

Cena de Império do desejo, 1978, Carlos Reinchenbach
Cena de Império do desejo, 1978, Carlos Reinchenbach
Mii Saki (Misaki Tanaka) é presença inesquecível em Império do desejo.

Mii Saki nasceu no Japão, mas veio para o Brasil em 1964. E já na década seguinte estreia no cinema descoberta pelo cineasta Ody Fraga em um programa de auditório da Record,em que atuava como bailarina. O filme de estreia é Macho e fêmea (1974), de Ody Fraga, e tem início aí uma trajetória cinematográfica que a tornará musa em filmes de cineastas essenciais, como Walter Hugo Khouri, Jean Garrett, Carlos Reichenbach, John Doo, Antonio Calmon, e o próprio Ody. Na televisão, atua no novela O rei do gado (1996/97), e em seriados e programas. Mas é o cinema que será seu principal veículo de atriz.

É com o mestre Carlos Reinchebach que Mii Saki tem uma de suas atuações mais arrebatadoras no belíssimo Império do desejo. Presença em dois filmes do genial Walter Hugo Khouri, Paixão e sombras, 1977, e O prisioneiro do sexo, 1978, a atriz atua em várias produções da Boca do Lixo. Mii Saki Tanaka integra também o elenco do comovente Gainjin - caminhos da liberdade (1980), de Tizuka Yamasaki. Depois de décadas longe do cinema brasileiro, a atriz retorna em Garotas do ABC (2003), filme que marca seu reencontro com Carlos Reichenbach. Daí se afasta novamente e volta agora no curta Batchan (2013), dirigido pelo cineasta e crítico de cinema Gabriel Carneiro. Na década de 90, a atriz mudou seu nome para Mii Saki.


Filmografia

Macho e fêmea, 1974, Ody Fraga
Paixão e sombras, 1976 Walter Hugo Khouri
Ninfas diabólicas, 1977, John Doo
O bom marido, 1977, Antônio Calmon
Reformatório das depravadas, 1978, Ody Fraga
A força dos sentidos, 1978, Jean Garrett
O inseto do amor, 1978, Fauzi Mansur
Império do desejo, 1978, Carlos Reichenbach
O prisioneiro do sexo, 1979, Walter Hugo Khouri
Gaijin, caminhos da liberdade, 1979, Tizuka Yamazaki
Colegiais e lições de sexo, 1979, Juan Bajon
Sonhos de vida, 1979, curta, Carlos Reichenbach
Bacanal, 1980, Antônio Meliande
Chapeuzinho vermelho, a gula do sexo, 1980, Marcelo Motta
O fotógrafo, 1980, Jean Garrett
A virgem e o bem-dotado, 1980, Edward Freund
E a vaca foi pro brejo, 1981, José Adauto Cardoso
Duas estranhas mulheres, episódio Eva, 1981, Jair Correia
A noite das depravadas, 1981, Juan Bajon
Fogo e paixão, 1988, Isay Weinfeld e Márcio Kogan
Sua excelência, o candidato, 1991, Ricardo Pinto e Silva
Garotas do abc, 2003, Carlos Reichenbach
Batchan, 2013, curta, Gabriel Carneiro



Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.