Ano 15

Myriam Muniz

*28 de outubro de 1931, +18 de dezembro de 2004 - São Paulo - SP

Cena de Nina, 2004, Heitor Dhalia
Cena de Nina, 2004, Heitor Dhalia
Um dos nomes fundamentais das artes cênicas brasileiras, Myriam Muniz encantou gerações no teatro,e, felizmente, levou sua arte também para as telas do cinema nacional. Entre outros, a atriz foi uma das musas da cineasta Ana Carolina, com quem rodou três filmes.  

Nascida em São Paulo, Myriam Muniz começou sua carreira nos anos 1960, dando início a uma trajetória impecável nos palcos – foi uma das integrantes do lendário Teatro de Arena. Dona de um estilo único, com sua voz inconfundível e interpretação intensa e arrebatadora, a atriz estreou no cinema com o pé direito atuando em Macunaíma (1969), personalíssima adaptação de Joaquim Pedro de Andrade da obra de Mário de Andrade. Myriam Muniz volta a atuar sob a direção do mestre Joaquim Pedro mais de uma década depois no singular O homem do pau Brasil, dessa vez sobre Oswald de Andrade.  A atriz estreia também em novelas no final da década de 60, veículo em que fará atuações pontuais - faz muito sucesso como dona Santa em Nino, o italianinho (1969), de Geraldo Vietri. Além de atriz, Myriam Muniz revela-se também uma diretora teatral de fôlego – um dos seus maiores sucessos é a direção de Elis Regina no show Falso brilhante, que bateu recorde de público em São Paulo na década de 70.  

É ainda nos anos 70 que Myriam Muniz encontra o cinema autoral e visceral de Ana Carolina, do qual se torna uma das musas, ao lado de Cristina Pereira e Xuxa Lopes. A atriz faz uma composição inesquecível para a personagem Niobi em Mar de rosas, em 1977, primeira parte de uma trilogia de sucesso de Ana Carolina. O segundo encontro das duas se dá no pulsante Das tripas, coração, em 1982, e, por último, em Amélia, em 2000, uma das mais arrebatadoras personagens da atriz. Nos anos 2000, Myriam Muniz dá vida à outra personagem impactante, a sovina e perversa Eulália em Nina, de Heitor Dhalia, sua despedida do cinema brasileiro. 


Filmografia

Macunaíma, 1969, Joaquim Pedro de Andrade
Cléo e daniel, 1970, Roberto Freire
Nenê bandalho, 1971, Emílio Fontana
Mar de rosas, 1977, Ana Carolina
O jogo da vida, 1977, de Maurice Capovilla
O homem do pau Brasil, 1982, Joaquim Pedro de Andrade
Das tripas, coração, 1982, Joaquim Pedro de Andrade
Nasce uma mulher, 1983, Roberto Santos
Alô?!, 1998, Mara Mourão
Amélia, 2000, Ana Carolina
Nina, 2004, Heitor Dhalia

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.