Ano 15

Nhá Barbina

*02 de dezembro de 1915, +11 de novembro de 1995 - *São Paulo - SP

Cena de Sertão em festa, 1970, Osvaldo Oliveira
Cena de Sertão em festa, 1970, Osvaldo Oliveira
A caricatura é um recurso usado por muitos comediantes, principalmente na criação de tipos que povoam os programas humorísticos. Nhá Barbina fez da caricatura sua arte e eternizou-a no cinema.

A paulista Conceição Joana da Fonseca Gomes começou sua carreira no circo. Seus primeiros trabalhos no teatro foi como atriz dramática, mas no final da década de 1930 criou a personagem cômica Nhá Barbina. Com alta dose de caricatura, Nhá Barbina é um solteirona que faz de tudo para arrumar um marido. O sucesso foi tanto, que a atriz, comediante e cantora acabou adotando a personagem como seu nome artístico. Como cantora, passou pela Rádio Tupi e gravou discos com músicas de gêneros como baião, marcha e arrasta-pé, Gravou também discos de contação de piadas. Na televisão, participou de programas humorísticos, sendo que o último foi A praça é nossa, no SBT, da novela Meus filhos, minha vida, também do SBT, e da minissérie Rabo de saia, da Rede Globo . No cinema, atuou em vários filmes com temática sertaneja, já que esse era o universo do seu tipo.

Além do trabalho com outros cineastas, Nhá Barbina atuou em três filmes de Osvaldo Oliveira - Sertão em festa (1970), No rancho fundo (1971) e Luar do sertão (1971). Neste último, sua presença exagerada e deliciosa é um dos destaques, em filme protagonizado pelos irmãos Tonico e Tinoco. 


Filmografia

Luar do sertão, 1949, Tito Batini e Mário Civelli
O rei pelé, 1962, Carlos Hugo Christensen
Lá no meu sertão, 1962, Eduardo Lorente
Sertão em festa, 1970, Osvaldo Oliveira
No rancho fundo, 1971, Osvaldo Oliveira
Luar no sertão, 1971, Osvaldo Oliveira


::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.