Ano 15

Nicette Bruno

*07 de janeiro de 1933 - Niterói - RJ

Cena de Esquina da ilusão, 1953, Ruggero jacobbi
Cena de Esquina da ilusão, 1953, Ruggero jacobbi
Em sua longa carreira, Nicette Bruno sempre privilegiou o teatro e a televisão. Ainda assim, deixou seu talento registrado no cinema.

Nicette Bruno começou a carreira no teatro ainda na infância – com 11 anos integra o grupo de teatro da ACM – Associação Cristã de Moças, passa depois para o Teatro Universitário, aos 14 anos, e, em seguida, integra o grupo de Dulcina de Moraes. A partir daí, atua em dezenas de espetáculos, é dirigida por grandes nomes dos palcos - como Dulcina, Ziembinski e Antônio Abujamra, monta companhia própria e recebe os prêmios Moliere, Shell e APCA. A atriz participa da inauguração da TV Tupi, no Rio, em 1951, e atua em programas, teleteatros, especiais, novelas e minisséries – algumas das novelas de sucesso são A gordinha (1970 – Sérgio Jockymann); Éramos seis (1977 – Rubens Ewald Filho e Sílvio de Abreu); e Rainha da sucata (1990 – Sílvio de Abreu). Estreia no cinema antes da TV, com apenas 14 anos, em Querida suzana (1947), de Alberto Pieralisi, e em 1952 participa de O canto da saudade, de Humberto Mauro, na Cinédia.

Ainda nos anos 1950, Nicette Bruno atua em Esquina da ilusão, de Ruggero Jacobbi, mas volta ao cinema só na década de 1970, em A marcha, de Oswaldo Sampaio. Nicette Bruno tem atuação esporádica no cinema, e por isso só volta ás telas novamente a partir dos anos 1990, em curta de Isabel Diegues e em longas de José Alvarenga Jr, Murilo Salles e Jorge Fernando. Nicette Bruno é casada com o ator Paulo Goulart, desde 1954.


Filmografia

Querida suzana, 1947, Alberto Pieralisi
Canto da saudade, 1952, Humberto Mauro
Esquina da ilusão, 1953, Ruggero Jacobbi
A marcha, 1972, Oswaldo Sampaio
Vila isabel, 1998, curta, Isabel Diegues
Zoando na tv, 1999, José Alvarenga Jr.
Seja o que Deus quiser, 2002, Murilo Salles
A guerra dos rocha, 2008, Jorge Fernando
A casa das horas, 2010, curta, Heraldo Cavalcanti



::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.