Ano 15

Regina Casé

*25 de fevereiro de 1954 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Eu tu eles, 2000, Andrucha Waddington
Cena de Eu tu eles, 2000, Andrucha Waddington
Nem todas as atrizes conseguem chegar ao coração do público, em suas mais diferentes classes sociais, principalmente em um veículo tão popular, e populista, como a televisão. Ainda mais, quando se constrói uma trajetória notável no teatro participando de um grupo de vanguarda como o  "Asdrúbal Trouxe o Trombone’, e também no cinema, como em Tudo bem, Os sete gatinhos, e Eu tu eles. Seu nome: Regina Casé.

Filha de Geraldo Casé, grande nome da televisão e um dos criadores da versão televisiva de O sítio do pica-pau amarelo, de Monteiro Lobato, Regina Casé debutou no teatro na década de 1970. Uma dos integrantes da trupe corrosiva, irreverente e debochada do ‘Asdrúbal Trouxe o Trombone’- ao lado de nomes como Hamilton Vaz Pereira (com quem foi casada), Patrícia Travassos e Luiz Fernando Guimarães, entre outros – a atriz sacudiu a cena carioca e recebeu o prêmio Moliére em 1977 por Trate-me leão. Com atuações hilárias em programas humorísticos, chega às novelas em 1983, em pequena participação em Guerra dos sexos, e se consagra nacionalmente em 86 como Tina Pepper em Cambalacho, e em 88 no inesquecível TV pirataPrograma legal, Brasil legal, Muvuca, Cena aberta, e Esquenta são alguns de seus programas posteriores . Regina Casé é talento em estado bruto, e essa persona faz dela destaque em seus primeiros trabalhos, em que se atira sem pudor às suas personagens. Seus primeiros filmes são os clássicos Tudo bem, de Arnaldo Jabor, e Chuvas de verão, de Carlos Diegues. A partir daí constrói uma notável filmografia marcada por ótimos e importantes filmes.

Nos anos 80, Regina Casé se destaca em filmes como Os sete gatinhos, a ótima adaptação cinematográfica de Neville D’Almeida para o texto de Nelson Rodrigues; o delicioso A marvada carne, de André Klotzel, onde faz a Mulher-Diaba; a elaborada e particularíssima adaptação de Júlio Bressane do texto de Machado Assis em Brás cubas; o surpreendente O cinema falado, de Caetano Veloso. Depois de muitos anos afastada das telas, Regina Casé retorna em grande estilo no ótimo Eu tu eles, de Andrucha Waddington. 


Filmografia

Tudo bem, 1978, Arnaldo Jabor
Chuvas de verão, 1978, Carlos Diegues
Os sete gatinhos, 1980, Neville D’Almeida
Eu te amo, 1981, Arnaldo Jabor
Corações a mil, 1981, Jom Tob Azulay
O segredo da múmia, 1982, Ivan Cardoso
Onda nova, 1983, Ícaro Martins e José Antônio Garcia
A marvada carne, 1985, André Klotzel
Brás cubas, 1985, Júlio Bressane
Areias escaldantes, 1985, Francisco de Paula
O cinema falado, 1986, Caetano Veloso
Fogo e paixão, 1988, Márcio Kogan e Isay Weinfeld
Luar sobre parador, 1988, Paul Mazursky
O grande mentecapto, 1989, Oswaldo Caldeira
Lá e cá, 1995), média, Sandra Kogut 
Eu tu eles, 2000, Andrucha Waddington
Onde andará petrucio felker?, 2001, curta, Allan Sieber - voz
Som e fúria - o filme, 2009, Fernando Meirelles e Toniko Melo

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.