Ano 15

Riva Nimitz

*28 de dezembro de 1936, +09 de outubro de 1993 - *São Paulo - SP

Cena de Viúvas precisam de consolo, 1979, Ewerton de Castro
Cena de Viúvas precisam de consolo, 1979, Ewerton de Castro
Veterana atriz do teatro e da televisão, Riva Nimitz atuou em poucos filmes, apenas cinco. Ainda assim, deixou registrado seu talento em dois grandes momentos do cineasta Joaquim Pedro de Andrade e da história do cinema brasileiro: Cinco vezes favela e O homem do pau Brasil.  

Riva Nimitz começou sua carreira artística no teatro, veículo onde vai construir notável trajetória. Entre esses momentos memoráveis nos palcos está a atuação no Teatro Arena, com sucessos como Eles não usam black-tie, de Gianfrancesco Guarnieiri, em 1958. Na televisão, estreia na década de 50, desenvolvendo extensa carreira na TV Tupi e também passando por várias emissoras, como Globo, Bandeirantes e SBT. Um de seus maiores sucessos na telinha  foi a vilã Elza de A pequena órfã, em 1968. Riva Nimitz estreia no cinema em 1954 no filme A sogra, dirigido por Armando Couto e protagonizado por Procópio Ferreira. Mas é em 1962 que atua em uma obra-prima do cinema brasileiro, o curta Couro de gato, do mestre Joaquim Pedro de Andrade, episódio do longa Cinco vezes favela. Na década de 70, depois de longo tempo afastada das telas, Riva Nimitz atua na comédia dirigida pelo ator Ewerton de Castro, Viúvas precisam de consolo.   

Nos anos 80, Riva Nimitz volta a encontrar o cinema autoral de Joaquim Pedro de Andrade no singularíssimo O homem do pau Brasil. No final da década participa do divertido Fogo e paixão, de Marcio Kogan e Isay Weinfeld.  


Filmografia

A sogra, 1954, Armando Couto
Cinco vezes favela, episódio Courod e gato, 1962, Joaquim Pedro de Andrade
Viúvas precisam de consolo, 1979, Ewerton de Castro
O homem do pau Brasil, 1982, Joaquim Pedro de Andrade
Fogo e paixão, 1988, Marcio Kogan e Isay Weinfeld

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.