Ano 15

Rossana Ghessa

*24 de janeiro de 1943 - Sardinia - Itália

Cena de O filho do chefe, 1974, Victor Lima
Cena de O filho do chefe, 1974, Victor Lima
A italiana, e brasileira por opção e paixão, Rossana Ghessa é um exemplo perfeito de atriz essencialmente de cinema. Nascida em solo italiano, a bela atriz vem para o Brasil com apenas sete anos, e por aqui se radica e constrói uma extensa carreira cinematográfica, composta de mais de 40 filmes.

Depois de atuar como garota-propaganda e em fotonovelas, Rossana Ghessa estreia no cinema brasileiro em 1966 no filme Paraíba, vida e morte de um bandido, de Victor de Lima - seguido dos expressivos Bebel, a garota propaganda, de Maurice Capovila, e Quelé do pajeú, de Anselmo Duarte. Em 1970, a atriz integra a galeria de musas de Walter Hugo Khouri no ótimoPalácio dos anjos, onde divide a cena com deusas como Adriana Prieto, Norma Bengell e Joana Fomm - dez anos depois, volta a trabalhar com o cineasta no ótimo Convite ao prazer. Os anos 70 e 80 no cinema nacional serão marcados, sobretudo, pela produção do cinema popular. E Rossana Ghessa será uma de suas maiores musas.

Durante essas décadas, Rossana Ghessa participa de um filme atrás do outro, seja como protagonista - Lucíola, o anjo pecador, de Alfredo Sternheim; ou como destaque em produções de alguns dos maiores nomes do gênero – Ody Fraga, Cláudio Cunha e Fauzi Mansur. outros ótimos momentos são Ana terra, de Durval Garcia, Pureza proibida, de Alfredo Sternheim,Snuff, vítimas do prazer, de Cláudio Cunha, e Momentos de prazer e agonia, de Adnor Pitanga


Filmografia

Paraíba, vida e morte de um bandido, 1966, Victor de Lima
007 ½ no carnaval, 1966, Victor de Lima
Carnaval barra limpa, 1967, J. B. Tanko
Enfim sós... com o outro, 1968, Wilson Silva
Bebel, a garota propaganda, 1968, Maurice Capovila
Quelé do pajeú, 1969, Anselmo Duarte
O palácio dos anjos, 1970, Walter Hugo Khouri
Memórias de um gigolô, 1970, Alberto Pieralisi
Verão de fogo, 1970, Pierre Kalfon
Lua de mel e amendoim, 1971, Fernando de Barros e Pedro Carlos Róvai
Ana terra, 1971, Durval Garcia
Edy sexy, o agente positivo, 1971, Fábio Sabag
Um marido sem... é como um jardim sem flores, 1972, Alberto Pieralisi
Obsessão, 1973, Jece Valadão
Pureza proibida, 1974, Alfredo Sterheim
A noiva da noite - desejo de 7 homens, 1974, Lenita Peroy
O filho do chefão, 1974, Victor Lima
Quando as mulheres querem provas, 1975, Cláudio MacDowell
Lucíola, o anjo pecador, 1975, Alfredo Sternheim
Amantes, amanhã se houver sol, 1975, Ody Fraga
As secretárias que fazem de tudo, 1975, Alberto Pieralisi
Tem alguém na minha cama, 1976, Pedro Camargo, Francisco Pinto Jr e Luiz Antônio Piá
O vampiro de copacabana, 1976, Xavier de Oliveira
Snuff, vítimas do prazer, 1977, Cláudio Cunha
O pequeno polegar contra o dragão vermelho, 1977, Victor Lima
Violência e sedução, 1979, Mozael Silveira
A pantera nua, 1979, Luiz de Miranda Corrêa
As borboletas também amam, 1979, J.B. Tanko
A virgem e o bem-dotado, 1980, Edward Freund
O inseto do amor, 1980, Fauzi Mansur
Convite ao prazer, 1980, Walter Hugo Khouri
Bordel – noites proibidas, 1980, Osvaldo de Oliveira
As intimidades de duas mulheres, 1981, Mozael Silveira
Me deixa de quatro, 1981, Fauzi Mansur
Mulheres liberadas, 1982, Adnor Pitanga
Fantasias sexuais, episódio Mulher abelha, 1982, Juan Bajon
Momentos de prazer e agonia, 1983, Adnor Pitanga
Estranhas relações, 1983, Milton Alencar
Fêmeas em fuga, 1985, Michele Massimo Tarantini
Cio dos amantes, 1988, Custódio Gomes
Adágio ao sol, 1996, Xavier de Oliveira 

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.