Ano 15

Ruth de Souza

*12 de maio de 1921 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Filhas do vento, 2004, Joel Zito Araújo
Cena de Filhas do vento, 2004, Joel Zito Araújo
Ruth de Souza é um dos patrimônios das artes cênicas, com uma carreira importante no teatro, na televisão e no cinema. 

Ruth de Souza estreu nos palcos em 1945 no TEN - Teatro Experimental do Negro, movimento importante na cena nacional, passando também pelo grupo Os Comediantes. Seu primeiro trabalho no cinema se dá três anos depois, no filme Terra violenta, e daí não para mais até o final da década de 70, passando pela Atlântida, pela Vera Cruz e pela Maristela -três companhias de cinema, sendo a primeira carioca e as duas últimas paulistas - e outras produções independentes. Na Vera Cruz, Ruth de Souza integra o elenco fixo da companhia e brilha em quatro filmes, sendo premiada em Terra é sempre terraAngela e Sinhá Moça. Dos anos 80 em diante, diminuiu o ritmo de trabalho no cinema, intensificando sua atuação em novelas – marcou presença em várias durante a década de 70, sendo a primeira ainda nos anos 60, A deusa vencida (1965).

Ruth de Souza empresta a cada personagem que interpreta uma dignidade que é antes de tudo sua, pois conseguiu ter uma trajetória brasileira das mais importantes, haja visto os pequenos papéis que são, frequentemente, reservados para os negros. Por sua comovente interpretação emSinhá moça, chegou a disputar o prêmio de Melhor Atriz do Festival de Veneza na época, e soma na carreira prêmiações importantes como o Saci e o Governador do Estado. Ruth de Souza foi Melhor Atriz no Festival de Gramado 2004 - ao lado de Léa Garcia - pelo filme Filhas do vento, de Joel Zito Araújo.


Filmografia

Terra violenta, 1948, Edmond F. Bernoudy e Paulo Machado
Falta alguém no manicômio, 1948, José Carlos Burle
Também somos irmãos, 1949, José Carlos Burle
A sombra da outra, 1950, Watson Macedo
Ângela, 1951, Tom Payne e Abílio Pereira de Almeida
Terra é sempre terra, 1952, Tom Payne
Sinhá moça, 1953, Tom Payne e Oswaldo Sampaio
Candinho, 1954, Abílio Pereira de Almeida
Quem matou anabela?, 1956, Dezso Ákos Hamza
Osso, amor e papagaios, 1957, César Memolo e Carlos Alberto de Souza Barros
Ravina, 1958, Rubem Biáfora
Fronteiras do inferno, 1959, Walter Hugo Khouri
Favela, 1960, Armando Bo
Mistério na ilha de vênus, 1960, Douglas Fowley
Bruma seca, 1960, Mário Civelli
A morte comanda o cangaço, 1961, Carlos Coimbra
Assalto ao trem pagador, 1962, Roberto Farias
Gimba, presidente dos valentes, 1963, Flávio Rangel
O cabeleira, 1963, Milton Amaral
As cariocas, episódio, 1966, Roberto Santos
O homem nu, 1968, Roberto Santos
Um homem célebre, 1974, Miguel Faria Jr
Pureza proibida, 1974, Alfredo Sternheim
Ana, a libertina, 1975, Alberto Salvá
Quem matou pacífico?, 1977, Renato Santos Pereira
Ladrões de cinema, 1977, Fernando Coni Campos
Fruto de amor, 1981, Milton Alencar
Jubiabá, 1987, Nelson Pereira dos Santos
A grande arte, 1991, Walter Salles
Boca, 1994, Walter Avancini
Um copo de cólera, 1999, Aluísio Abranches
Aleijadinho, glória e suplício, 2003, Geraldo Santos Pereira
Filhas do vento', 2004, Joel Zito Araújo

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.