Ano 15

Teresinha Sodré

*08 de dezembro de 1947 - São Paulo - SP

Cena de O homem de papel, 1976, Carlos Coimbra
Cena de O homem de papel, 1976, Carlos Coimbra
Muito popular em novelas nos anos 1970 e 80, Teresinha Sodré atuou também em vários filmes de diretores marcantes como Carlos Reichenbach, J. B. Tanko, José Mojica Marins e Tony Vieira.

Teresinha Sodré estreou no cinema nacional no final dos anos 1960. A atriz atua no episódio Alice, dirigido pelo mestre Carlos Reichenbach, do filme As libertinas (1968), que reúne segmentos de Antônio Lima e João Callegaro. E é na década de 70 que Teresinha Sodré vai intensificar sua carreira cinematográfica e também os trabalhos na televisão. Estrela na TV Tupi, a atriz atua na moderna Dom camilo e os cabeludos (1972), de Benjamim Cattan, como a rebelde katy Pé-de-Bode, e tem papel de destaque como Nenê na clássica A viagem (1975 – 1ª versão), de Ivani Ribeiro. Tem também papéis importantes em novelas na Globo, como a dissimulada Lurdinha em Locomotivas (1977), de Cassiano Gabus Mendes, e a manicure fofoqueira Marinete em Água viva (1980), de Gilberto Braga. Já no cinema, é presença constante em filmes de temáticas diversas, como a aventura em A filha do padre, de Tony Vieira, a comédia em Como ganhar na loteria sem perder a esportiva, de J.B. Tanko, e o horror em Finis hominis, de José Mojica Marins.

Teresinha Sodré fez também muitos programas de televisão, mas anda afastada das novelas e do cinema. Seus últimos filmes na década de 70 foram dirigidos por George Serkeis e Carlos Coimbra.


Filmografia

As libertinas, episódio Alice, 1968, Carlos Reichenbach
Mulher pecado, 1970, Egidio Eccio
2000 anos de confusão, 1969, Fauzi Mansur
Audácia, a fúria dos desejos, episódio Amor 69, 1970, Antonio Lima
Como ganhar na loteria sem perder a esportiva, 1971, J. B. Tanko
Finis hominis – o fim do homem, 1971, José Mojica Marins
Maridos em férias, 1972, Konstantin Tkaczenko
O supermanso, 1974, Ary Fernandes
A filha do padre, 1975, Tony Vieira
Fracasso de um homem nas duas noites de núpcias, 1975, George Michel Serkeis
O homem de papel, 1976, Carlos Coimbra

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.