Ano 15

Vera Holtz

*07 de agosto de 1953 - Tatuí - SP

Cena de Bendito fruto, 2003, Sérgio Goldenberg
Cena de Bendito fruto, 2003, Sérgio Goldenberg
Sucesso no teatro e na televisão, Vera Holtz marca presença também no cinema em atuações como no ótimo Bendito fruto.

Vera Holtz nasceu em Tatuí, no interior paulista, e o sotaque carregado é uma de suas marcas. Antes de se tornar atriz de sucesso, trabalha no Instituto de Pesquisas Tecnológicas desenhando mapas. A carreira artística começa no teatro, com a estreia, em 1977, na peça Rasga coração. O palco é espaço de destaque em sua carreira – Pérola, de Mauro Rasi foi um dos maiores sucessos da atriz e também do teatro brasileiro na década de 1990. Vera Holtz estreia em novelas também em importante produção: Que rei sou eu?, de Cassiano Gabus Mendes, em 1989. Depois disso, participa, com destaque, de outras como Vamp (1991) – inesquecível como Ms Alice Penn Taylor; Mulheres apaixonadas (2003), Paraíso tropical (2007), e Avenida Brasil (2012). O cinema acontece nos anos 1990, período em que atua no marco do Cinema da Retomada, Carlota joaquina – princesa do Brazil, de Carla Camurati. Ricardo Miranda, André Klotzel, Helvécio Ratton e Susana de Moraes são os cineastas que a dirigem na década ,em filmes de longa-metragem. A atriz atua também em curtas, como no belo Diário noturno, de Monique Gardenberg, em 1993.

No anos 2000, Vera Holtz dá prosseguimento à carreira cinematográfica. Depois de atuar em Tônica dominante, de Lina Chamie, e em Apolônio Brasil – campeão da alegria, de Hugo Carvana, é uma das protagonistas de um grande filme: Bendito fruto, estréia em longas do diretor Sérgio Goldenberg, em 2004. Em Anjos do sol, comovente filme de Rudi Lagemann, Vera Holtz tem uma interpretação contida e rascante como uma pérfida cafetina às voltas com a exploração sexual infantil.


Filmografia

Assim na tela como no céu, 1991, Ricardo Miranda
Capitalismo selvagem, 1993, André Klotzel
Diário noturno, 1993, curta, Monique Gardenberg
Menino maluquinho – o filme, 1994, Helvécio Ratton
Mil e uma, 1994, Susana de Moraes
Vicente, 1995, curta, Marcos Guttmann
Carlota joaquina – princesa do Brazil, 1995, Carla Camurati
Nos tempos do cinematógrafo, 1996, curta, Kika Lopes
Tônica dominante, 2000, Lina Chamie
Apolônio Brasil, campeão da alegria, 2003, Hugo Carvana
Bendito fruto, 2004, Sérgio Goldenberg
Anjos do sol, 2006, Rudi Lagemann
O cavaleiro didi e a princesa lili, 2006, Marcus Figueiredo
Famíla vende tudo, 2011, Alain Fresnot


::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.