Ano 15

Wilma Dias

*20 de abril de 1954, +10 de abril de 1991 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Amor maldito, 1984, Adélia sampaio
Cena de Amor maldito, 1984, Adélia sampaio
A carioca Wilma Dias sacudiu, e divertiu, o Brasil saindo de uma casca de banana na abertura do programa humorístico que fez história: O planeta dos homens. Como não poderia deixar de ser marcou presença também do cinema brasileiro.

Wilma Dias começou a carreira na telinha em O planeta dos homens, em 1976, na Rede Globo, momento luminoso do humor televisivo que reunia os talentos gigantes de Jô Soares e Agildo Ribeiro e mais um grande elenco. Na telinha, Wilma Dias atuou também em novelas como As três marias (1980), na Globo, adaptação do romance de Rachel de Queiroz escrita por Wilson Rocha e Walter Negrão, e em Meus filhos, minha vida (1984), no SBT, de Ismael Fernandes, Henrique Lobo e Crayton Sarzy. Wilma Dias estreou no cinema na paródia dos trapalhões ao sucesso americano em Os trapalhões na guerra dos planetas, em 1978, como Loya.

Nos anos 1980, Wilma Dias atuou em três filmes. O primeiro foi Mulher objeto, em 1981, daquele que se tornaria um dos maiores novelistas do país, Sílvio de Abreu. Protagonizado por Helena Ramos e Nuno Leal Maia, o filme alcançou um grande público. O outro foi Amor maldito, em 1984, de Adélia Sampaio, em que é a protagonista, ao lado de Monique Lafond. Amor maldito tem roteiro assinado por José Louzeiro e é um filme policial com temática homossexual. Outro filme em que a atriz atuou naqueles anos foi em Profissão: mulher, de Cláudio Cunha. Wilma Dias faleceu precocemente aos 37 anos, de enfarte, em 1991.


Filmografia

Os trapalhões na guerra dos planetas, 1978, Adriano Stuart
Mulher objeto, 1981, Sílvio de Abreu
Profissão: mulher, 1982, Cláudio Cunha
Amor maldito. 1984, Adélia Sampaio



::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.