Ano 15

Zilda Mayo

*02 de março de 1953 - Araraquara - SP

Cena de Pecado horizontal, 1982, José Miziara
Cena de Pecado horizontal, 1982, José Miziara
Nos anos 1970 os filmes produzidos na Boca do Lixo em São Paulo, muitos deles conhecidos como pornochanchadas – filmes eróticos, sobretudo comédias - revelaram um elenco extraordinário de atrizes, muitas delas musas absolutas do gênero. Como a paulista Zilda Mayo.  

Zilda Mayo começou sua carreira atuando em comerciais de TV na década de 70. E na telinha, participa de programas de Sílvio Santos e Ronald Golias. Sua estreia no cinema se dá em 1976, no episódio O furo, de José Miziara, do longa Ninguém segura essas mulheres. Começa aí uma das maiores trajetórias do cinema brasileiro,mais de 40 filmes, com várias produções por ano. Zilda Mayo torna-se uma das musas da Boca do Lixo, atuando com alguns de seus maiores cineastas: Jean Garrett, Carlos Reichenbach, John Doo, Ody Fraga, entre outros.   

Zilda Mayo atua também no teatro e na televisão – participa de especiais e novelas como Casa de pensão (1982), Filhos do sol (1991), Irmã catarina (1996) e O olho da terra (1997). Sua carreira cinematográfica se estende até a década de 80. Entre tantos filmes, está seu encontro com o grande cineasta Carlos Reichenbach, com quem atua no clássico A ilha dos prazeres proibidose no episódio Rainha do fliperama, do longa As safadas. E também com o grande Jean Garret em Possuídas pelo pecado (1976), Excitação (1977), e Noite em chamas (1977). 
  

Filmografia

Ninguém segura essas mulheres, episódio O furo, 1976, José Miziara
Possuídas pelo pecado, 1976, Jean Garrett
Excitação, 1977, Jean Garrett
Presídio de mulheres violentadas, 1977, Luiz Castillini, Osvaldo de Oliveira e Antonio Pólo Galante
Noite em chamas, 1977, Jean Garrett
Internato de meninas virgens, 1977, Osvaldo de Oliveira
Escola penal de meninas violentadas, 1977, Antonio Meliande
Fugitivas insaciáveis, 1978, Osvaldo de Oliveira
Ninfas insaciáveis, 1978, John Doo
Matador sexual, 1979, Tony Vieira
Liberdade sexual, 1979, Wilson Rodrigues
A dama do sexo, 1979, Wilson Rodrigues
A ilha dos prazeres proibidos, 1979, Carlos Reichenbach
O caso cláudia, 1979, Miguel Borges
Tara das cocotas na ilha do pecado, 1980, Antonio Bonacin Thomé
Motel, refúgio do amor, 1980, Alexandre Sandrini
O doador sexual, 1980, Henrique Borges
Volúpia do prazer, 1981, Rubens Eleutério
As meninas de madame laura, 1981, Ciro Carpentieri Filho
O filho da prostituta, 1981, Francisco Cavalcanti
Como afogar o ganso, 1981, Conrado Sanchez
Casais proibidos, 1981, Ubiratan Gonçalves
As safadas, episódio A rainha do fliperama, 1982, Carlos Reichenbach
O rei da boca, 1982, Clery Cunha
Perdida em sodoma, 1982, Nilton Nascimento
Pecado horizontal, 1982, José Miziara
Muitas taras e um pesadelo, 1982, Salvador Amaral
As gatas, mulheres de aluguel, episódio Aretuza, 1982, Antonio Meliande
Bacanais na ilha das ninfetas, 1982, Osvaldo de Oliveira
Tudo na cama, 1983, Antonio Meliande
Tensão e desejo, 1983, Alfredo Sternhein
Juventude em busca do sexo, 1983, Juan Bajon
O cafetão, 1983, Francisco Cavalcanti
O escândalo na sociedade, 1983, Arlindo Barreto
Paraíso da sacanagem, 1984, José Adalto Cardoso
Ivone, a rainha do pecado, 1984, Francisco Cavalcanti
Transa brutal, 1984, Diogo Angélica
A quinta dimensão do sexo, 1984, José Mojica Marins
O império do sexo explícito, 1985, Marcelo Motta
As mil e uma posições, 1985, Sady Baby
Instrumento da máfia, 1988, Francisco Cavalcanti

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.