Ano 15

Eliana Fonseca

*17 de fevereiro de 1961 - São Caetano do Sul - SP


Nascida em São Caetano do Sul, São Paulo, em 1961, Eliana Fonseca é integrante da renovação do elenco do humor brasileiro da década de 1980. 

Além de atriz, revelou-se também como premiada roteirista e diretora - com carreira no teatro, na televisão e no cinema. Seu nome  tem um lugar de destaque no boom do curta-metragem nos anos 80 e 90.

Estudante de cinema na USP, Eliana Fonseca levou a formação acadêmica para a carreira artística, revelando-se como diretora, ao lado de Cao Hamburger, do ótimo e premiadíssimo curta Frankestein punk, em 1986. Os dois cineastas criaram uma versão moderna para o mito, toda feita com animação de bonecos. 

Outro bom momento é o curta Esconde esconde, realizado em 1988, em que assina o roteiro e a direção, protagonizado por Fernanda Torres e Raul Barreto. 

Participou ainda de inúmeros curtas, como atriz, roteirista ou diretora, em títulos como 20 minutos, Dov’e meneghetti,  Epopeía, A revolta dos carnudos, Viver a vida , Com um monte de beijos, e A má criada

Com carreira expressiva no teatro e várias montagens no currículo, Eliana Fonseca levou sua arte também para a TV, onde atua como atriz, roteirista e diretora. Brasileiros e brasileiras, em 1990, foi sua primeira novela, e na telinha sempre esteve envolvida nas três áreas, em programas como Castelo rá-tim-bum, Casseta e planeta, e Ô coitado!

Já como atriz em longa-metragem, seu primeiro filme foi o ótimo Anjos da noite, de Wilson Barros, em 1987. 

Nos anos 90, Eliana Fonseca tem seu melhor momento como atriz no surpreendente filme Não quero falar sobre isso agora, de Mauro Farias- atuação que lhe valeu o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Gramado. 

Outros trabalhos atuando são em O efeito ilha (1994), de Luis Alberto Pereira, Carlota joaquina – pryncesa do Brasil (1995), de Carla Camurati, Os xeretas (2001), de Michael Ruman, Um show de verão (2003), de Moacyr Goes. 

Em 2003, dirige seu primeiro longa, O martelo de vulcano, com a turma da Ilha rá-tim-bum.

Em seguida, dirige mais dois longas: Eliana em o segredo dos golfinhos (2005), e Coisas de mulher (2005) - nos quais também atua.

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.