Ano 15

Rosangela Maldonado

*13 de agosto de 1928 - Franca - SP

Foto: com José Mojica Marins Fonte: livro José Mojica Marins - 50 Anos de carreira
Foto: com José Mojica Marins Fonte: livro José Mojica Marins - 50 Anos de carreira
Rosangela Maldonado nasceu em Franca, São Paulo, em 13 de agosto de 1928.

Começou a carreira no rádio, como locutora e rádio-atriz na Rádio Tupi.

Nos anos 1950, atua no teatro – Escândalos, com direção de Bibi Ferreira, em 1950, é um de seus espetáculos; e também em teleteatros na TV Tupi.

Ainda na década de 1950, Rosangela Maldonado inicia trajetória longa como atriz de cinema, com mais de 20 filmes no currículo.

Milton Rodrigues, Moacyr Fenelon, Carlos Hugo Christensen, Ronaldo Lupo, Luiz de Barros, Ismar Porto, Fauzi Mansur, Ary Fernandes, João Callegaro e Roberto Mauro são alguns cineastas que a dirigem. 

Dentre os destaques estão suas atuações em Hoje o galo sou eu (1958), de Aluísio T. de Carvalho; Teu tua (1979), de Domingos de Oliveira; e a parceria nos filmes de José Mojica Marins.

Como atriz, está em Finis hominis (1971) e Sexo na ilha do tesouro, ambos com direção de Mojica.

Em 1978, Rosangela Maldonado produz, roteiriza e estrela A mulher que põe a pomba no ar. O filme consta em vários registros como co-direção entre ela e Mojica, que assina com o pseudônimo de J. Avellar, mas Mojica diz que dirigiu sozinho.

No mesmo ano, Rosangela Maldonado dirige, roteiriza e estrela A deusa de mármore – escrava do diabo, dessa vez contando com José Mojica Marins no elenco.

Os dois filmes têm histórias de mistério e de entrecho sobrenatural.


Filmografia

Como diretora:

A mulher que põe a pomba no ar, 1978, co-direção com José Mojica Marins (que nega a co-direção alegando que dirigiu sozinho); também como produtora, roteirista e atriz
A deusa de mármore – escrava do diabo, 1978, direção, roteirista e atriz

Como atriz:

Somos dois, 1950, Milton Rodrigues
Milagre de amor, 1951, Moacyr Fenelon
Aventura em rio, 1953, Alberto Goult
Almas em conflito, 1955, Rafael Mancini
Hoje o galo sou eu, 1958, Aloísio T. de Carvalho
Esse rio que eu amo, 1960, Carlos Hugo Christensen
Só naquela base, 1960, Ronaldo Lupo
Vagabundos no society, 1962, Luiz de Barros
O levante das saias, 1967, Ismar Porto
Deu a louca no cangaço, 1969, Fauzi Mansur e Nelson Teixeira Mendes
Mágoas de caboclo, 1970, Ary Fernandes
O pornógrafo, 1970, João Callegaro
Finis hominis, 1971, José Mojica Marins
Sexo e sangue na trilha do tesouro, 1972, José Mojica Marins
Ironside, 1973, Collier Young
Fracasso de um homem nas duas noites de núpcias, 1975, George Michel Sérkeis
O incrível seguro da castidade, 1975, Roberto Mauro
Teu tua, 1979, Domingos de Oliveira

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.
Sala 
 Ana Carolina
Cineasta de assinatura personalíssima e de filmografia inquietante.