Ano 15

Vanja Orico

*15 de novembro de 1931 - Rio de Janeiro - RJ


O sucesso internacional de O cangaceiro, de Lima Barreto, inaugurou no cinema nacional um filão conhecido como o `Ciclo do Cangaço`. A atriz e cantora Vanja Orico foi um dos destaques do filme, e é uma das musas do gênero.

Nascida no Rio de Janeiro, no dia 15 de novembro de 1931, Vanja Orico estuda música antes de ingressar no cinema. E é através dela que faz sua estreia nas telas em 1950, nada menos do que sob a direção de dois gênios internacionais, Federico Fellini e Alberto Lattuada, em Mulheres e luzes. Vanja Orico é selecionada para o filme por acaso, canta a música "Meu limão Meu Limoeiro", e, a partir daí, alia a carreira de atriz e cantora. 

Na volta ao Brasil atua no clássico da Vera Cruz, O cangaceiro, prêmio de Melhor Filme de Aventura no Festival de Cannes e que a consagra - no filme ela canta as belas "Muié Rendeira` e `Sodade Meu Bem Sodade`. 

A atriz mantém presença constante no cinema brasileiro nas décadas de 50, 60 e 70, participando em mais três filmes do gênero: Lampião, o rei do cangaço - como Maria Bonita; Cangaceiros de lampião; e Jesuíno brilhante, o cangaceiro.  Além disso, atua em várias co-produções.

Vanja Orico tem atuação no cinema brasileiro também por outras vertentes: em 1973 produz, escreve e dirige O segredo da rosa

O filme, que conta a história de dois garotos vendedores ambulantes que acabam se envolvendo, sem saber, com o tráfico de cocaína, tem a diretora também no elenco como atriz, além de nomes como Isolda Cresta e Ivan de Almeida. 

Em 1987, o consagrado diretor Walter Lima Jr. leva para as telas a lenda do boto no belo filme Ele, o boto, protagonizado por Carlos Alberto Ricelli, Cássia Kiss e Dira Paes, e é Vanja Orico a autora do conto adaptado pelo cineasta, além de atuar no filme. 

Vanja Orico retorna ao cinema em 1994 em A terceira margem do rio, de Nelson Pereira dos Santos.

 
Filmografia

O cangaceiro, 1953, Lima Barreto
Paixão nas selvas, 1955, Franz Eichhorno
A rosa dos ventos, episódio Ana, 1957, Alex Viany
Os mendigos, 1962, Flávio Migliaccio
Lampião, o rei do cangaço, 1964, Carlos Coimbra
O santo milagroso, 1966, Carlos Coimbra
Em ritmo jovem, 1966, Mozael Silveira
Cangaceiros de lampião, 1967, Carlos Coimbra
Independência ou morte, 1972, Carlos Coimbra
Jesuíno brilhante, o cangaceiro, 1972, Williem Cobbett
O segredo da rosa, 1974, produção, roteiro e direção de Vanja Orico
O leão do norte, 1974, Carlos Del Pino
O caçador de esmeraldas, 1979, Osvaldo de Oliveira
Ele, o boto, 1987,  Walter Lima Jr.
A terceira margem do rio, 1994, Nelson Pereira dos Santos


Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.
Sala 
 Ana Carolina
Cineasta de assinatura personalíssima e de filmografia inquietante.