Ano 15

Adriana Esteves

*15 de dezembro de 1969 - *Rio de Janeiro - RJ

Cena de As meninas, 1995, Emiliano Ribeiro
Cena de As meninas, 1995, Emiliano Ribeiro
Sucesso nacional na novela “arrasa-quarteirão” Avenida Brasil (2012), de João Emanuel Carneiro, Adriana Esteves estreou no cinema na década de 1990.

Adriana Esteves começou a carreira como modelo. Na televisão, sua primeira aparição em novela foi em uma ponta em Vale tudo (1988), de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Basséres. No mesmo ano, participa do quadro “Famosa por um dia”, do Programa do Faustão, e logo depois estreia como Tininha em Top model (1989/90), de Walter Negrão e Antônio Calmon. Sofre com as críticas pela protagonista Mariana de Renascer (1993), de Benedito Ruy Barbosa, e tem ótimos momentos como a Sandrinha em Torre de Babel (1998), de Sílvio de Abreu, a Catarina em O cravo e a rosa (2000), de Walcyr Carrasco e Mário Teixeira, e como a cantora Dalva de Oliveira em Dalva e Herivelto – uma canção de amor (2010), minissérie de Maria Adelaide Amaral. A consagração definitiva na TV vem com a vilã Carminha em Avenida Brasil (2012), novela de João Emanuel Carneiro que sacudiu o país. No teatro, atua em algumas peças como A falecida (1994), de Nelson Rodrigues, protagonizada por Maria Padilha e dirigida por Gabriel Villela. A estreia no cinema se dá em As meninas (1995), adaptação do romance homônimo de Lygia Fagundes Telles, uma obra-prima da literatura brasileira. 

Em As meninas ela é uma das protagonistas que dão título à produção - as outras são Drica Moraes e Cláudia Liz -, como a jovem burguesa e romântica Lorena Vaz Leme. O filme foi um dos projetos de vida do cineasta David Neves, que morreu sem concretizá-lo, e acabou sendo dirigido por Emiliano Ribeiro, que havia sido seu assistente. Na década de 1990, Adriana Esteves atua em dois filmes: Tiradentes (1998), de Oswaldo Caldeira, como Bárbara Heliodora; e em O trapalhão e a luz azul (1999), dirigido por Paulo Aragão e Alexandre Boury. A atriz retorna ao cinema em 2006 na comédia Trair e coçar é só começar, dirigida por Moacyr Góes, uma adaptação de um grande sucesso do teatro.



Filmografia

As meninas, 1995, Emiliano Ribeiro
Tiradentes, 1998, Oswaldo Caldeira
O trapalhão e a luz azul, 1999, de Paulo Aragão e Alexandre Boury
Trair e coçar é só começar, 2006, Moacyr Góes

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.